quarta-feira, 5 de novembro de 2014

JUIZ QUE PROCESSOU AGENTE DE TRÂNSITO TEM 6 MULTAS E 28 PONTOS NA HABILITAÇÃO

 
O episódio que virou ação na justiça não foi o único envolvendo o juiz João Carlos de Souza e o descumprimento a regras de trânsito.
Em 2013, dois anos após o caso, o magistrado foi multado ao parar em uma blitz por dirigir sob influência de álcool.
A infração aconteceu na madrugada de 14 de março do ano passado, quando ele foi parado por agentes da Lei Seca, em Copacabana.
Na ocasião, segundo a Secretaria estadual de Governo, João Carlos se recusou a fazer o teste do bafômetro e teve a carteira apreendida.
O veículo foi liberado após a apresentação de outro condutor.

COVARDIA E HUMILHAÇÃO: CASAL INVADE RESIDÊNCIA DE APOSENTADA, ROUBA QUATRO MIL REAIS E CORTA CABELO DA VÍTIMA COM UMA PEIXEIRA

 
A aposentada “M.L.Q.”, de 67 anos, estava sozinha, no final da tarde desta quarta-feira (05/11), quando teve a residência invadia por um casal.
Foram roubados “4.000,00 reais” e a vítima teve os cabelos cortados com uma peixeira.
A dupla entrou pela porta da cozinha e surpreendeu a aposentada que estava deitada em uma cama, pois ela sofre de hérnia de disco.
A mulher foi humilhada e ameaçada de morte com uma faca “colada ao pescoço”.
O casal queria a todo custo o dinheiro “que estava guardado”.
A quantia foi encontrada.
Não satisfeitos, o bandido e a bandida cortaram o cabelo da vítima, além disso, golpearam com o cabo da arma a cabeça dela por várias vezes.
A escória fugiu numa moto, deixou a aposentada trancada e jogou a chave em um local.
No momento do crime o marido dela, dono de uma oficina de motos, fazia caminhada.
O clima é de total insegurança.
O caso ocorreu na cidade de Caturité, no Cariri.
Segunda-feira (03), uma mulher em Campina Grande passou por uma situação semelhante.

AGENTE QUE PAROU JUIZ EM “LEI SECA” É CONDENADA A PAGAR INDENIZAÇÃO DE CINCO MIL REAIS AO MAGISTRADO, MAS DIZ QUE NÃO TEM DINHEIRO

Condenada pela 36ª Vara Cível do Rio de Janeiro a pagar “5.000,00” reais ao juiz João Carlos de Souza Correa após um desentendimento numa blitz, a agente da Lei Seca Luciana Silva Tamburini, de 34 anos, disse ao G1 nesta quarta-feira (05/11) que não teria como pagar a indenização.
"Não tenho dinheiro para pagar isso, é mais que meu salário", disse ela.
Ainda na terça, internautas criaram uma "vaquinha virtual" para pagar a indenização.
Cerca de três anos e meio depois de receber voz de prisão ao abordar um juiz em uma blitz da Lei Seca na Zona Sul do Rio, a agente da operação foi condenada a indenizar o magistrado por danos morais.
Luciana Silva Tamburini processou o juiz João Carlos de Souza Correa, alegando ter sido vítima de situação vexatória.
Porém, a Justiça entendeu que a vítima de ofensa foi o juiz e não a agente.
Na terça-feira (04), ela disse que a "carteirada" que recebeu do magistrado não foi a única ao longo de três anos que trabalhou na Lei Seca.
"Isso acontece todos os dias e não só comigo. Já recebi até um 'Você sabe com quem está falando?' da mulher de um traficante de um morro de Niterói", contou.

ADOLESCENTE DE 14 ANOS É ASSASSINADO COM GOLPE DE FACA; ACUSADA FOI PRESA. VÍTIMA TINHA DEFICIÊNCIA MENTAL

 
O adolescente Tércio Pedro de Lima adolescente, de 14 anos, foi assassinado com um golpe de faca no pescoço na noite da terça-feira (04/11), na cidade de Guarabira, Brejo paraibano.
A acusada do crime, Josilene da Silva Leandro, “Jó”, de 38, vizinha do garoto, se entregou a polícia durante a madrugada desta quarta-feira (05)
De acordo com um policial civil, a acusada ligou para a polícia por volta de 01h30 e se entregou.
(Josilene disse que não teve intenção de matar)
Na delegacia ela chorava bastante e disse que não teve a intenção de matar o menino.
A vítima tinha distúrbios mentais.
O adolescente, segundo a polícia conseguiu apurar, acompanhado de um grupo de amigos teria jogado pedras na casa de “Jó”.
E quando Tércio estava brincando em uma praça da cidade, foi abordado pela mulher.
Ele teria sido espancado antes de ser esfaqueado na região do pescoço.
O garoto ainda chegou a ser socorrido por familiares, mas não resistiu aos ferimentos e morreu após chegar ao Hospital Regional de Guarabira.
O crime aconteceu no Bairro do Rosário.
(O menino, ainda com vida, chegando ao hospital)
A casa da irmã da acusada, localizada na “Rua do Lenço”, foi incendiada.
Um tio da vítima também está sendo procurado pela policia, por ter atirado em via pública, ao saber que o garoto havia falecido.
A intenção dele era matar a assassina do sobrinho.
Ele também é apontando como chefe do tráfico no Bairro do Rosário, segundo moradores.
(Por informações: portalmidia/portalcorreio)
Michele Marques/Juka Martins/Hyldo Pereira
Fotos: portalmidia

VEJA O VÍDEO: MENINO DE OITO ANOS CONTA COMO O PAI ABUSAVA DELE; IRMÃ DE QUATRO ANOS TAMBÉM ERA ABUSADA. ACUSADO ESTÁ PRESO


VEJA O VÍDEO
video
ENTENDA O CASO
Um menino de oito anos, morador de Nova Floresta, no Curimataú paraibano contou como o pai abusava dele.
O acusado se apresentou com um advogado e foi preso, pois havia um mandado de prisão.
O homem está sendo acusado de abusar sexualmente de uma filha de quatro anos e do filho de oito.
O acusado, em depoimento disse que foi abusado quando era criança por um homem e na cabeça dele vinha aquele desejo de fazer o mesmo que esse homem fez com ele no passado.
A mulher dele, de 43 anos, o flagrou de joelhos e só de cueca, acariciando as nádegas da menina de apenas quatro anos de idade.
O abuso sexual aconteceu na madrugada do domingo (26/10).
Ela disse a polícia civil que sentiu falta do marido na cama e se “levantou”.
Quando passou pelo quarto da filha surpreendeu o companheiro ajoelhado só de cuecas e “alisando” as nádegas da filha por baixo da calcinha.