Menu

sábado, 14 de março de 2015

ASSASSINOS CONTINUAM SOLTOS: DOIS ANOS DA MORTE DE WAGNER PEREIRA; UM ANO DA MORTE DE JÉFERSON COSTA. ELES FORAM PRESIDENTES DA TORCIDA JOVEM DO GALO

(Wagner Pereira e Jéferson Costa:)
Neste domingo (15/03) vai completar dois anos da morte Wagner Pereira de Albuquerque e um ano da morte de Jéferson Costa da Silva.
MORTE DE WAGNER PEREIRA DE ALBUQUERQUE

No dia em que foi assassinado com um disparo de revólver na nuca, o rapaz, então com 23 anos, era presidente da Torcida Jovem do Galo.
O assassino continua em liberdade, mas a delegada Maíra Roberta, em contato com o renatodiniz.com na manhã deste sábado (14), disse que os suspeitos já foram identificados e os procedimentos para a elucidação estão em andamento.
Neste domingo às 07h00 na Paróquia do Santo Antônio será celebrada a missa de segundo aniversário da morte.
O CRIME
Wagner foi morto no início da manhã de uma sexta-feira (15/03/2013) em Campina Grande, quando voltava do trabalho (Alpargatas).
Ele foi atingido assim que desceu do ônibus, no bairro Santo Antônio.
A Polícia descobriu que o crime foi praticado por um membro de uma torcida organizada do Campinense Clube.
Na época, a delegada Maíra Roberta Queiroz, explicou que as primeiras informações recebidas confirmavam que o homicídio foi motivado por uma “guerra de torcidas”.
MORTE DE JÉFERSON COMPLETA UM ANO

Jéferson Costa da Silva, então com 23 anos, morreu em um sábado (15/03/2015) no Hospital de Trauma em Campina Grande, após passar 20 dias internado.
Ele também era presidente da Torcida Jovem do Galo (sucedeu Wagner Pereira).
Jéferson foi vítima de um disparo de revólver na cabeça, na madrugada do domingo, 23 de fevereiro, nas imediações de um bar na Avenida Floriano Peixoto, no centro de Campina Grande.
Neste domingo às 19h00 na Catedral será celebrada a missa de primeiro aniversário da morte.
O CRIME FOI ESCLARECIDO
A delegada Tatiana Matos Barros, de Homicídios, foi esclareceu o crime.
Na época (dia 10 de abril de 2014) ela foi enfática: “a morte de Jéferson nada tem haver com briga de torcida. Ele recebeu uma ligação telefônica e foi buscar, numa moto, o acusado em casa. Depois, Jéferson, o acusado e outros amigos ficaram em um bar, em seguida saíram para outro local. No caminho ocorreu uma simples discussão e o assassino sacou de um revólver atirou na cabeça da vítima que não teve chance de defesa”.
O acusado, que está foragido, foi identificado como “Naldo”.
Contra ele existe um pedido de Prisão Preventiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário