Menu

terça-feira, 7 de abril de 2015

ACUSADO DE MATAR COLEGA DE TRABALHO COM GOLPES DE FACA E DEPOIS QUEIMAR O CORPO, SE APRESENTA, MAS É LIBERADO; ADVOGADO JORNALISTA CRITICA LIBERAÇÃO

(Henrique, o acusado: confessou "legítima defesa")
Henrique de Amâncio acusado de matar com requintes de crueldades o comerciário Roberto Santos Pereira, de 32 anos, se apresentou à polícia em Cajazeiras nesta segunda-feira (06/04), acompanhado de sua advogada.
Roberto foi morto no sábado (04) com oito golpes de faca e ainda vivo teve o corpo queimado com gasolina dentro da própria casa na Rua São Sebastião, em Cajazeiras.
Vítima e acusado bebiam.
Segundo a polícia, o Henrique confessou o crime e afirmou que matou por legítima defesa.
(Roberto: facadas e corpo queimado)
Ele disse que a vítima o perseguia no trabalho todos os dias e que, não suportando, cometeu o crime.
Acrescentou também que queimou o Roberto por acidente depois de esfaqueá-lo.
Após ser ouvido pelo delegado, Henrique de Amâncio foi liberado para responder o processo em liberdade.
O delegado não quis falar sobre o caso, de acordo com diariodosertao.
(Advogado Adjamilton Pereira)

Sobre a liberação do acusado, o advogado e jornalista cajazeirense Adjamilton Pereira, comentou no seu blog: “A Polícia Civil e o Ministério Público falharam. A leniência da Polícia Civil e a omissão do Ministério Público, que não pediram a prisão temporária e nem representaram pela preventiva do assassino confesso de um dos crimes de maior repercussão na cidade de Cajazeiras nos últimos tempos, serviu para aumentar o descrédito na justiça e na forma de atuação das referidas instituições”.
(renatodiniz.com com informações do blogdoangelolima e diariodosertao)

Nenhum comentário:

Postar um comentário