Menu

quarta-feira, 8 de abril de 2015

ACUSADO DE MATAR “JAMANTA”, DA TORCIDA JOVEM DO GALO, É CONDENADO A 18 ANOS DE PRISÃO

Moisés Araújo da Silva foi condenado a uma pena de 18 anos de prisão em julgamento realizado nesta quarta-feira (08/04), no 1º Tribunal do Júri, em Campina Grande.
A condenação, que será cumprida na Penitenciária Regional do Serrotão, foi pela morte de Danyllo Correia Melo, “Jamanta”, de 20 anos, um dos membros da Torcida Jovem do Galo. 
“Jamanta” foi assassinado com dois tiros na cabeça, na noite de 11 de outubro/2013.
A vítima estava em um bar, na Rua do Sol, em Santa Rosa, quando foi morto.
As teses de Legítima Defesa e Violenta Emoção, levantadas pela defesa do réu, foram derrubadas.
Este foi o primeiro júri em Campina Grande que teve como principal motivo às consequências das brigas entre torcidas organizadas de Treze e Campinense que já resultarem em dez mortes.
O julgamento teve início por volta das 13h30 e foi encerrado às 21h00.
O Promotor Osvaldo Barbosa que representou o Ministério Público disse que esta foi uma demonstração de que a justiça não deu às costas para a sociedade diante extrema gravidade dos crimes que envolvem facções em torcidas organizadas.
“Conforme os altos, o acusado passou nas proximidades do bar onde Jamanta bebia com os amigos. A vítima e os amigos ficaram rindo (dando risadas) e deixou-se pra lá. Achava-se que ia terminar por ali. Depois o Moisés volta com outras pessoas, que ele isenta de culpa (Moisés assume a culpa sozinho, do assassinato) e dispara vários tiros. O Jamanta corre, mas lá na frente ele cai e mesmo assim o Moisés o segue e dispara mais dois tiros na cabeça da vítima”, afirmou o promotor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário