Menu

quarta-feira, 22 de abril de 2015

BALA QUE MATOU SARGENTO JÉFERSON NO MUTIRÃO SAIU DE ARMA DE POLICIAL E NÃO DE BANDIDO, AFIRMA LAUDO

(POR politicamaiscedo)
A bala que matou o sargento da Polícia Militar, Jefferson Lucena Santos, morto no bairro do Mutirão, em Campina Grande, no dia 17 de novembro de 2012, saiu da arma de um dos policiais militares envolvidos na ação, que tentava capturar os suspeitos de terem matado no mesmo dia, Sérgio Paulo Santos, de 28 anos. 
ESSA É A CONCLUSÃO DO LAUDO PERICIAL DO INSTITUTO DE POLÍCIA CIENTÍFICA.
O tiroteio que resultou na morte do PM ocorreu por volta das 20h00.
De acordo com o laudo entregue ao Comando da Polícia Militar, foram analisadas as 14 armas usadas na ação e que pertencem a 5ª companhia/Bope.
No exame de confrontação balística, o laudo indicou haver convergências de micro estriamentos entre o projétil padrão coletado de uma das armas, e os vestígios encontrados na jaqueta do sargento.
Jefferson, conforme o documento, foi atingido por uma submetralhadora. “…a perícia apontou como sendo aquela de onde procedeu o projétil que vitimou fatalmente o 3º sargento Jefferson de Lucena Santos.”, cita o termo de recebimento do laudo pericial.
Segundo informações obtidas pelo blogpoliticamaiscedo, durante a ação contra os acusados, os policiais já estavam posicionados e se preparavam para avançar.
O sargento Jefferson estava em linha reta, e sem ter recebido um comando do seu superior, ele saiu dessa linha, seguindo mais a frente.
Nesse momento, os bandidos teriam percebido e começaram a atirar.
O sargento tentou recuar e foi atingido nas costas.
Os policiais reagiram e também passaram a atirar, e um dos disparos, atingiu a sua cabeça.
Minutos depois o tiroteio acabou, e os policiais perceberam que o sargento Jefferson, estava caído.
Ele ainda foi levado para o Hospital de Trauma, mas não resistiu.
A ação ocorreu no bairro do Mutirão, depois que a PM recebeu a informação de que os bandidos estavam realizando uma festa pra comemorar a morte do rival.
(Por: políticamaiscedo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário