Menu

quinta-feira, 2 de abril de 2015

MULHER MORREU NA MATERNIDADE EM CAMPINA POR NEGLIGÊNCIA DE MÉDICOS E TÉCNICOS DE ENFERMAGEM, DIZ COMISSÃO DE SINDICÂNCIA

A Comissão de Sindicância instaurada para investigar o caso da morte da dona de casa, Maria José Saraiva Leite, divulgou que ouve falhas no atendimento a gestante, tanto por parte dos quatro técnicos de enfermagem quanto por dois obstetras que trabalham no ISEA – Instituto de Saúde Elpídio de Almeida.
No dia 6 de fevereiro, Maria José, de 33 anos, deu entrada na maternidade gravida de seis meses e apresentava perda de líquido.
Antônio Henriques de França, membro da Comissão de Sindicância, afirmou que “houve um retardo nas medidas adequadas para atender a paciente”.
A comissão também detectou que houve demora na entrega dos exames.
Os técnicos de enfermagem os dois obstetras foram afastados das funções.
Luzia Pinto, secretária de saúde de Campina Grande, afirmou que
“o relatório foi encaminhado para o CRM – Conselho Regional de Medicina, para o Ministério Público Federal, Ministério Público estadual e Conselho Municipal de Saúde. Uma cópia também foi encaminhada para a Procuradoria do município para possíveis e futuras medidas cabíveis”.
A paciente permaneceu internada na unidade, mas segundo familiares no dia 13 começou a sentir incômodos.
Ela perdeu o bebê e na madrugada do dia 16 morreu.
A família acusou o ISEA de negligencia e dias depois realizaram um protesto em frente à unidade.
O resultado da sindicância foi apresentado a imprensa durante uma coletiva no auditório do IPSEM na tarde desta quarta-feira (01/04).
(Sabrina Lima/TV Borborema)

Nenhum comentário:

Postar um comentário