Menu

segunda-feira, 4 de maio de 2015

“SERIA MUITO COBRADA”, DIZ MÃE QUE ABANDONOU BEBÊ EM CALÇADA; JOVEM QUE DEU À LUZ FICOU COM MEDO DA REAÇÃO DA FAMÍLIA. PAI DO BEBÊ AFIRMOU QUE QUER ASSUMIR GUARDA DEFINITIVA

“Tem a visão da sociedade, que querendo ou não ia me julgar como mãe solteira, tem a questão da religião, meus pais são muito influentes na igreja, ia ser uma coisa muito usada, eu seria muito cobrada, teria que dar satisfação“.
Essa foi a justificativa apresentada pela mulher que deixou o filho embaixo de uma lixeira em uma calçada de Cabedelo, na Grande João Pessoa, em entrevista à TV Cabo Branco, para a atitude.
Ela diz que o abandono foi motivado "por desespero e medo da repercussão".
O bebê foi encontrado em uma calçada no dia 1º de abril e no mesmo dia foi divulgado um vídeo de câmeras de segurança em que a mulher é flagrada colocando a criança embaixo de uma lixeira.
A criança foi encontrada por um homem, que posteriormente seria identificado como seu avô.
A mãe do bebê Moisés se apresentou ao Ministério Público após o pai da criança ter ido à polícia e se identificado.
A jovem disse que fez o próprio parto e planejou deixar a criança na calçada ainda durante a gravidez, conforme informou a Polícia Civil.

Ainda de acordo com a mãe de Moisés, o maior medo era de magoar seu pai, que já tinha dado apoio em outra gravidez. 
“Como o meu pai ia reagir? Meu pai é tradicional, eu já tinha tido uma gravidez e já tinha me separado. Do mesmo jeito que ele me apoiou na primeira, eu fiquei naquele receio de magoá-lo de novo. Queria evitar o sofrimento maior para o meu pai, porque eu sei o quanto ele me ama. Filho é uma benção, mas o pai querendo ou não se magoa naquilo de ‘ah, eu já te dei um oportunidade e você tá fazendo isso de novo'”, relatou.
O pai da jovem que deixou a criança na calçada, e também o responsável por resgatar a criança, explicou que se a filha tivesse comentando sobre a gravidez, teria sofrido menos.

“Tomei conhecimento de todos os detalhes, do sofrimento desnecessário que ela passou pra ter esse bebê. Poderia ter falado comigo que sofreria menos. O risco que ela correu, o risco que o bebê correu, o sofrimento que nós estamos tendo, o sofrimento que as pessoas mais próximas também estão tendo. É um momento delicado”, desabafou o avô do bebê Moisés.
Na hora do parto, a mãe estava sozinha em um banheiro da casa em que mora com a família.
"Gritando na toalha para ninguém escutar. Eu estava sofrendo tudo ali só. Segurei o bebê em um braço, a placenta no outro. Cortei o cordão umbilical. Foi muito sangue”, ela relata.
O pai da criança, Moisés Pereira Teixeira, também em entrevista à TV Cabo Branco, comentou que identificou que se tratava do seu filho pela gravação da sua ex-namorada deixando o bebê na calçada.
“Movimentos da pessoa bateram com a pessoa com quem eu tive um relacionamento. No primeiro mês em que começamos a nos relacionar, ela disse que estava grávida, acompanhei ela em todos os exames pré-natais até o quarto mês. No mês seguinte, falou que tinha perdido, que teve um sangramento grande e perdeu a criança”, comentou o pai.
A juíza Graziela Queiroga Gadelha de Souza, responsável pelo caso, explicou que será pedida uma avaliação psicológica da jovem.
O Ministério Público informou que deve denunciar a mãe por abandono de recém-nascido nesta segunda-feira (04/05). 
Enquanto isso, a guarda provisória do bebê fica com o pai.
“Não é nem questão de perdoar, a justiça divina que vai fazer com que perdoe, eu não tenho nada contra. Espero que consiga a guarda definitiva dele, aproveitar muito o meu bebê até a idade que ele seguir o rumo dele. Que filho a gente não cria para gente, a gente cria para o mundo. Agora é viver para ele, que é o mais importante agora na minha vida", arrematou Moisés Pereira Teixeira.
(G1pb/TV Cabo Branco)

Nenhum comentário:

Postar um comentário