Menu

quinta-feira, 18 de junho de 2015

DURANTE TENTATIVA DE ROUBO UM AGRICULTOR É ASSASSINADO; SUSPEITO TAMBÉM FOI MORTO. COMPARSA DO SUSPEITO TERIA COMETIDO OS CRIMES

(Adelmo "del" Farias de Oliveira)
Um duplo homicídio, em uma residência, chamou a atenção dos moradores do sítio “Canta Galo”, em São Sebastião de Lagoa de Roça, na grande Campina,  na manhã desta quinta-feira (18/06).
Dentro da casa os corpos do agricultor Adelmo Farias de Oliveira, de 27 anos, e de um homem não identificado.
A mulher de Adelmo disse que estava no local na companhia da filha, 06 anos, e de um filho, de 02, quando por volta das 07h30 dois homens apareceram no portão.
Aparentemente calma, ela narrou na Patrulha da Cidade/TV Borborema o que disse ter visto.

“Estávamos eu e as duas crianças. Ele (Adelmo) tinha saído para a ‘rua’ (Lagoa de Roça) e não ‘tava’ em pensamento nenhum chegar naquele momento. Ai eles (os homens) chegaram mandando eu abrir o portão e se eu não abrisse eles iriam arrombar; ai eu fui e abri. Eles pediram dinheiro e a chave do carro. Eu disse: o que tivesse eu ia dar, mas num fizesse nada comigo nem com as crianças”. 
Ela contou que os homens escutaram um barulho do lado de fora.
“... Nesse momento eles escutaram a zoada da moto chegando; eles se armaram e se prepararam. Um me segurou e botou a arma apontada para minha cabeça e da minha filha. Meu marido só fez entrar e eles já foram segurando meu marido”.
A mulher prosseguiu e descreveu o que ocorreu depois.
“Meu marido só fez botar a mão na cabeça e se ajoelhou e eles disseram: ‘quero dinheiro, quero dinheiro, a chave do carro e o que tiver’. Meu marido disse: ‘a chave do carro tá na estante’. Então eles foram para perto da estante e o que fugiu deu um disparo. Só que o disparo atingiu o comparsa dele. Como ele viu que atingiu o amigo, deu outro tiro e este tiro foi no meu marido (o disparo atingiu a altura da face).”
Ela afirmou ainda que “o homem que fugiu efetuou mais um tiro que atingiu o comparsa dele”.

De acordo com moradores o assaltante foi visto em uma estrada que dar acesso ao município de Esperança.
Após o ocorrido ela tomou uma decisão: “não quero mais viver aqui. Ninguém tem mais segurança em canto nenhum. E viver sozinha aqui com as crianças, também não vou”.  
Os homens que invadiram a casa não estavam encapuzados e nada foi levado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário