Menu

domingo, 19 de julho de 2015

AYRTON SENNA APARECE EM PESQUISA COMO MAIOR ÍDOLO DOS ATLETAS

Já se passaram mais de 21 anos da morte de Ayrton Senna.
Mas o legado de um ídolo é eterno, tempo nenhum parece ser capaz de apagar.
O Comitê Olímpico do Brasil (COB) fez uma pesquisa com os 589 atletas que representam o Time Brasil nos Jogos Pan-Americanos, em Toronto, no Canadá. 

Uma das perguntas era: "quem é sua principal referência no esporte?".
O tricampeão mundial de Fórmula 1 foi, com sobras, o mais citado.
Dos 589 atletas, 103 citaram Ayrton Senna como maior ídolo e referência esportiva. Isso significa 18% dos atletas brasileiros que estão em Toronto disputando o Pan.
Senna foi citado como inspiração por nomes como os medalhistas de ouro Tiago Camilo (judô), Cássio Rippel (tiro), Fernando Reis (levantamento de peso) e Etiene Medeiros (natação).
“Ele deixou marcas que fazem qualquer atleta virar fã dele. Eu não tenho nem palavras. Era um cara da paz, do amor. Esbanjava simplicidade “, disse Etiene, que fez história em Toronto se tornando a primeira mulher medalhista de ouro da natação brasileira.
O judoca Tiago Camilo diz que Senna é o ídolo da infância, mas que ganhou ainda mais admiração após conhecer melhor a história do piloto.
“O Ayrton Senna fez parte da minha infância. Eu acordava sempre quando tinha corrida de F-1. Era muito forte o que ele transmitia, o carro da McLaren na frente, a música tema da vitória e ele com a bandeira na mão. Na verdade, só fui entender isso quando o conheci melhor. Biografias, vídeos, documentários e o filme. Sua história é inspiradora, não conheci nenhum atleta mais dedicado, decidido e com desejo de vitória maio que o dele. Um ícone e, certamente, o meu ídolo”, disse Tiago.
Para se ter uma ideia da influência de Ayrton Senna entre os atletas, o segundo colocado na pesquisa foi o ex-tenista Gustavo Kuerten.
 Guga teve 31 menções.
“Para mim, o Ayrton Senna é um ídolo eterno. Acho que a competência, o caráter que ele tinha, são exemplos a serem seguidos eternamente. Se você pegar frases que ele falava, são frases a serem seguidas e exemplos incontestáveis. Para muita gente, é um símbolo eterno do que é ser um campeão, um atleta”,  afirmou Daniele Hypolito, medalha de bronze com a equipe feminina na ginástica artística.
Mesmo muito criança à época daquele fatídico 1º de maio de 1994, Dani ainda se recorda bem da forte batida contra o muro da curva Tamburello, no circuito de Ímola, na Itália.
Momento traumático, que a fez demorar para voltar a ver corridas de Fórmula 1 na televisão.
“Eu lembro, fiquei muito triste. Porque foi um choque para todo mundo. Eu muito pequenininha, com meus oito aninhos de idade, quando bateu e demorou muito eu falei com a minha mãe e ela disse: ''Não filha''. Na hora que o Galvão anunciou... Outro dia vi a retrospectiva, nossa, chorei igual quando eu tinha oito anos de idade. Foi uma cena forte para o Brasil inteiro e ali a gente perdeu um ídolo, um ícone. Tudo que uma pessoa pode transmitir sobre o que é se um atleta”.
Ouro em Toronto, o judoca Charles Chibana é outro que também tem Ayrton Senna como ídolo no esporte.
Nascido em 1989, ele tinha apenas quatro anos quando ocorreu o acidente. Mas se acostumou a ver vídeos de corridas e tem os feitos do tricampeão como grande inspiração.
“Eu assisti a muitos vídeos da carreira dele. Ele era muito sinistro! São momentos que me inspiram muito, principalmente uma corrida em que ele passou todo mundo em uma volta. Era um grande vencedor”, disse Chibana, fazendo referência ao GP da Europa de 1993, em Donington Park, na Inglaterra, onde Senna fez quatro ultrapassagens na primeira volta.
(g1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário