Menu

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

ACUSADOS DE MATAR VEREADOR SÃO CONDENADOS A MAIS DE 20 ANOS DE PRISÃO

Em júri realizado na cidade de Serra Branca, cariri paraibano, os acusados da morte do vereador Geraldo Caetano (Déa) foram condenados a mais de 20 anos de reclusão, cada um.
O juiz Leonardo Sousa de Paiva impôs a pena de 25 anos para o autor do assassinato, Marcelo Ferreira, e uma pena de 22 para o cunhado dele, Leandro Teixeira, que foi apontado como o mandante e ajudante no homicídio.
O júri ocorreu nesta quinta-feira (27/08) no Fórum Judiciário de Serra Branca.
O magistrado relatou em sua sentença condenatória que o crime cometido foi o de pistolagem.
A defesa dos réus apresentou uma nova tese, diferente da trabalhada até então durante a fase processual, que foi a de crime passional.
Os advogados Gildásio Alcântara, Adelk Dantas, Luciano Breno e Paulo Mariano defenderam a tese apresentada pelo réu Marcelo Ferreira, que disse ter sido ameaçado pelo vereador após manter um caso amoroso com ele à época.
O promotor Uirassu de Melo Medeiros representou o ministério público “assessorado” pelo advogado Tadeu Licarião.
José Sandro, acusado de ser o autor intelectual do crime, entrou com um recurso no Tribunal de Justiça da Paraíba e vai ser julgado posteriormente.
Familiares e amigos do ex-vereador Déa comemoraram o resultado.
Gritos e até fogos de artifício foram utilizados.
(deolhonocariri)
A MORTE DO VEREADOR

O vereador Geraldo Caetano de Araújo do PSD, conhecido como “Déa”, foi assassinado dentro de sua pequena lanchonete no centro da cidade, em frente a uma escola estadual, na noite de 21 de agosto de 2013.
Testemunhas relataram à Polícia Militar que um homem chegou a pé e efetuou quatro disparos na cabeça do vereador que morreu na hora.
Antes, o assassino pediu uma pizza, quando foi pagar a conta, sacou a arma e efetuou os disparos.
O acusado teria fugido em uma motocicleta com a ajuda de um comparsa que o aguardava nas proximidades do local do homicídio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário