Menu

terça-feira, 18 de agosto de 2015

CONDENADO A 34 ANOS DE PRISÃO VAQUEIRO QUE ESTUPROU E MATOU ESTUDANTE DE 16 ANOS

Foi condenado a uma pena de 34 anos de reclusão Leônio Brbosa de Arruda.
Ele sequestrou, estuprou, matou e ocultou o corpo da estudante Ana Alice Macedo Valentin, de 16 anos.
O julgamento ocorreu na câmara de vereadores de Queimadas nesta terça-feira (18/08).

O crime aconteceu no dia 19 de setembro de 2012 e teve imensa repercussão na Paraíba.
Logo pela manhã em uma das ruas que de acesso à câmara, estudantes de escolas públicas e privadas exibiam faixas com pedidos de justiça.
Em frente ao prédio, mais mobilização.
Representantes de órgãos de defesa da mulher exibiam fotografias de Ana Alice, seguravam cruzes pretas e flores vermelhas.
30 Policiais da 3º Companhia de Independente da Polícia Militar e da Cavalaria reforçaram a segurança.
Por volta das 09h00 o vaqueiro Leônio Barbosa de Arruda, acusado do crime, chegou numa viatura do Sistema Penitenciário da Paraíba.
Ele disse rapidamente a reportagem da TV Borborema que era inocente.
No interior do prédio, na galeria, não havia espaço para mais ninguém.
O Advogado Márcio Bandeira atuou na defesa do réu e defendeu a negativa de autoria.
O cliente, segundo ele, havia confessado o crime sob tortura.
O promotor Márcio Teixeira representou o ministério público e em nenhum momento teve dúvidas da condenação de Leônio.
O julgamento conduzido pelo Juiz da 1ª Vara Mista de Queimadas, Antônio Gonçalves Ribeiro Júnior, começou exatamente às 09h30 e terminou às 15h50.
No corpo de jurados: cinco mulheres e dois homens.
Seis testemunhas foram ouvidas.
Um dos depoimentos foi o de uma mulher de 41 anos, sequestrada por Leônio no dia 31 de outubro de 2012.
A vítima disse que só não foi estuprada em virtude de ter alegado que era portadora de doença venérea e que estava menstruada.
O CRIME
No dia 19 de setembro de 2012, Ana Alice foi abordada depois da aula quando chegava em casa na zona rural de Queimadas.
Em seguida ela foi estuprada, assassinada e o corpo enterrado numa cova rasa em um sítio de Caturité, no Cariri.
Leônio acabou  preso em 07 de novembro de 2012, no mesmo dia em que o corpo da estudante foi encontrado.
Na noite de 03 de abril de 2014, o acusado pulou um muro e fugiu da Penitenciária Padrão de Campina Grande.
No dia 13 de abril foi recapturado por agentes penitenciários no sítio “Salgado”, em Caturité.

Nenhum comentário:

Postar um comentário