Menu

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

“O BANQUINHO DA VERDADE” EVITA A ENTRADA DE CELULARES EM PRESÍDIO; APARELHO CHEGA A VALER ATÉ 5 MIL REAIS SE ENTRAR

Um equipamento eletrônico tem auxiliado os agentes do Presídio Padrão de Campina Grande no momento da revista e evitado a entrada de celulares ou outros objetos de metal.
É um “banquinho” equipado com um sensor que detecta qualquer objeto ilícito.
A visitante entra no presídio, senta no banco e se tiver tudo ok, o sensor não dispara.

Caso ela esteja transportando algum objeto, o sensor emite um sinal e faz barulho.
Seis mulheres foram flagradas pelo equipamento transportando celulares, baterias, carregadores, chips e até maconha escondidos na vagina.
Quando elas sentaram, o “banco” acusou.

Os flagras ocorreram entre a última quarta-feira (19/08) e ontem (23).
Um “sensor de mão” também auxilia no trabalho dos funcionários.
De acordo com o diretor Anselmo Vasconcelos, este ano 15 visitantes já foram flagradas com ilícitos nas partes íntimas.
Um celular, se chegar às mãos dos presos, pode custar até “5.000,00 reais”, garante Anselmo.
“É por isso que essas mulheres se arriscam”.
APREENSÃO NO SERROTÃO


Na tarde desta segunda-feira agentes penitenciários da Penitenciária Raimundo Asfora apreenderam 42 baterias de celulares, vários carregadores e fones de ouvido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário