Menu

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

PC PRENDE NO CARIRI ACUSADO DE SER CÚMPLICE NA MORTE DE EX-PRESIDIÁRIO EM CAMPINA GRANDE

Uma ação dos policiais civis de Monteiro e Sumé, no Cariri, comandada pelo delegado Gilson Duarte culminou com o cumprimento do Mandado de Prisão em desfavor de Ewerton Rodrigues Alves.
Ele é acusado de ser cúmplice da morte do ex-presidiário José dos Santos Baraúna, “golão”, ocorrida em junho deste ano no Tambor, em Campina Grande.
Ewerton estava em Sumé desde a última terça-feira (27) na casa da sogra.
A Polícia obteve informação e realizou a captura.
Recentemente Ewerton foi preso em João Pessoa, mas já estava em liberdade.
(Com informações de www.jaquelineoliveira.com.br)
A PRISÃO DE EWERTON EM JOÃO PESSOA
Ewerton Rodrigues Alves foi preso na capital acompanhado de outro homem, acusado de crime patrimonial.
Durante a autuação se identificou com o nome do irmão, mas não demorou muito tempo para a polícia descobrir.
Uma equipe da delegacia de Homicídios em Campina Grande, comandada pela delegada Tatiana Barros, se dirigiu até um dos presídios de João Pessoa e deu cumprimento a um Mandado de Prisão Temporária.
No dia 27 de julho o rapaz foi posto em liberdade.
O curioso, segundo Tatiana, é que ele foi liberado com o nome de “Ederson” e não com o nome de Ewerton.
ENTENDA O CASO
("Golão": vítima de crime passional)
O albergado José dos Santos Baraúna, de 27 anos, “golão”, foi assassinado na tarde de 15 de junho/2015 06 por dois homens numa moto de cor preta.
O crime aconteceu em uma das ruas do Bairro Tambor.
O tiro atingiu o peito esquerdo do rapaz que no trajeto entre o bairro e Hospital de Trauma estava consciente chegando a conversar com um policial militar.
A delegada Tatiana Barros, que investigou o caso, disse que o crime foi passional.
“Golão” estava se relacionando com uma jovem de 19 anos.
O acusado de matá-lo foi justamente o ex-companheiro dela.
“Esse crime tem uma forte vertente de crime passional, tendo em vista às declarações que foram tomadas das pessoas que presenciaram o fato. O golão foi executado com um tiro por causa de ciúme do ex-companheiro de Dayana, identificado como Kleber”.
Que são os envolvidos (suspeitos) neste caso?
“Segundo as testemunhas do caso, o Ewerton Alves era o condutor da moto e o primeiro que apareceu na casa pedindo silêncio a uma das testemunhas fazendo gesto com o dedo indicador em riste, colocando na boca para que ela ficasse em silêncio; e o Kleber Pereira, conhecido por boca ou Júnior, é o ex-companheiro da Dayana e foi quem efetuou um disparo. O Kleber já havia, depois da separação, ameaçado a Dayane. Ele fez, inclusive, ligações para as amigas da Dayana, dizendo que quem andasse com ela iria morrer”.
“Golão” foi socorrido para o Trauma, mas é sabido que ele conversou com um policial militar sobre o ocorrido. Qual foi o teor dessa conversa?
“A vítima foi abordada por um policial militar (o cabo Olinto) e no intuito de despistar, comentou que havia ido ao local buscar seus filhos na escola (o que não é verdadeiro); e que havia sido vítima de um assalto (que também não é verdadeiro). Na verdade nós acreditamos que golão estava querendo desvirtuar as nossas investigações, até mesmo com uma possível represália aos seus agressores, caso se recuperasse”.
NO DIA 15 JULHO  Kleber Pereira de Sousa foi preso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário