Menu

domingo, 15 de novembro de 2015

HOMEM É ACUSADO DE ESTUPRAR A SOBRINHA EM CAMPINA E QUASE ERA LINCHADO; ESTUPRADOR É CONDENADO A 19 ANOS. ELE JÁ CUMPRE PENA PELO MESMO CRIME

Às 18h00 deste sábado (14/11) a polícia militar registrou uma acusação de estupro.
Consta que a vítima tem 16 anos e o acusado é o tio dela por parte de pai (que já morreu).
O crime ocorreu no caminho do sítio “Logrador” em Campina Grande.
A garota mora com a mãe no Assentamento Antônio Eufrazino, faz uma semana.
De acordo com a denúncia, ele é conhecido como “galego” e quase era linchado pela comunidade, mas conseguiu fugir.
A PM conduziu mãe e filha para a Central de Polícia onde foram realizados os procedimentos.
A Delegacia de Crimes Contra a Infância investiga o caso.
(renatodiniz.com)
ESTUPRADOR CONDENADO MAIS UMA VEZ
Assassino de Ana Alice é condenado a 19 anos de prisão pelas tentativas de estupro e homicídio qualificado contra outra vítima.
O vaqueiro Leônio Barbosa de Arruda, de 24 anos, foi condenado a mais 19 anos, dois meses e 20 dias de prisão, em regime fechado, pelas tentativas de estupro e homicídio qualificado contra uma dona de casa, de 44 anos.
A sentença foi lida pelo juiz Antônio Gonçalves Ribeiro Júnior, titular da 1ª Vara Mista de Queimadas, nesta quinta-feira (12), após quase nove horas de julgamento, no Fórum da Comarca de Queimadas.
Atuaram na assistência de acusação os advogados Claudionor Vital Pereira, José Ricardo Pereira e Jairo de Oliveira Souza, do Centro Popular de Assessoria Jurídica (CEPAJ), que também atuaram no Caso Ana Alice.
O promotor de justiça Márcio Teixeira Albuquerque foi o responsável pelo caso.
A defesa de Leônio foi feita pelos advogados Márcio Maciel Bandeira e Hewerton Dantas de Carvalho.
O crime – a mulher sobreviveu à tentativa de homicídio praticada por Leônio no final de outubro de 2012, quase dois meses após o desaparecimento de Ana Alice.
Por volta das 17h00, a dona de casa fazia uma caminhada na zona rural do município de Caturité, a 16km de Queimadas, quando foi abordada pelo vaqueiro, à época com 22 anos, que, armado com uma espingarda calibre 12, a obrigou a entrar no veículo que conduzia e, após mantê-la em seu poder por algumas horas, tentou estuprá-la e, não conseguido satisfazer a sua lascívia, a agrediu violentamente, chegando a amputar parcialmente a orelha direita da mulher, a dentadas, e em esganou-a, fazendo-a perder os sentidos.
Ao acreditar que sua vítima estava morta, ele a jogou em um buraco de uma caixa d’água e fugiu.
Mesmo gravemente ferida, na manhã do dia seguinte ela conseguiu sair do local onde foi jogada para buscar ajuda.
Foi graças à sua denúncia que o seu algoz foi preso e acabou confessando o estupro e assassinato de Ana Alice e, ainda. o estupro cometido contra uma terceira mulher.
O criminoso indicou o local onde o corpo da de Ana Alice foi enterrado, pondo fim à busca desesperada da família pelo paradeiro da adolescente.
Foi graças à coragem de Antônia que este criminoso pode ser preso.
(Por Áurea Olímpia Figueiredo Rêgo, Assessora de Comunicação Centrac/PB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário