Menu

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

PRESOS QUATRO SUSPEITOS DE ESTELIONATO EM CAMPINA; ELES VENDIAM CARROS LOCADOS E CASAS DE OUTRAS PESSOAS, DIZ PC

Agentes da Delegacia de Defraudações de Campina Grande, sob o comando das delegadas Suelane Guimarães Souto e Ellen Maria Ferreira de Sousa Lima, desencadeou, na manhã desta segunda-feira (14/12) a Operação CHECK OUT, a fim de dar cumprimento a cinco mandados de prisão preventiva e oito mandados de busca e apreensão domiciliar, todos expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Criminal da Comarca de Campina Grande. 
Participaram desta Operação cerca de 40 policiais civis.
Quatro pessoas foram presas.
A investigação tem como objetivo desarticular uma organização criminosa, formada por estelionatários, falsificadores de documentos públicos, estes que se utilizavam da conduta de comercializar carros locados a terceiros e compra/venda de imóveis de terceiros como se seus fossem, com falsificação de documentos públicos, selos cartorários, cheques fraudados, veículos clonados, dentre outras fraudes apuradas.
Os crimes em apuração referentes aos quais pesam indícios de autoria sobre os investigados são: Estelionato, Formação de Quadrilha, Falsidade Documental (na modalidade de falsificação de selo ou sinal público), Falsidade Documental (na modalidade falsificação de documento público), Falsidade Ideológica, Adulteração de Sinal Identificação de Veículo Automotor, Receptação e Ameaça.
As penas dos crimes somadas chegam ao máximo de 31 anos de reclusão.
A operação recebeu o nome de CHECK OUT, que é a palavra em inglês que remete ao ato de sair, fechar uma conta ou dar baixa em algum tipo de processo.
Isso porque em primeiro lugar, era necessária uma ação contundente da Polícia Civil no sentido de conter o ciclo criminoso dos envolvidos, para que eles saíssem de circulação, e num segundo momento porque alguns dos envolvidos nos delitos, segundo informações, pretendiam deixar a cidade de Campina Grande e fugir para fora do país, com o intuito de deixar de responder pelas diversas fraudes cometidas.
(Comunicação Social da SEDS/10ª DSPC/2ªSRPC)

Um comentário: