Menu

sexta-feira, 4 de março de 2016

ACUSADO DE ASSASSINAR EMPRESÁRIA EM POSTO DE GASOLINA DE LAGOA SECA É PRESO PELA POLÍCIA NO RIO DE JANEIRO

Flávio Esdras Rufino da Silva, de 33 anos, acusado de matar com golpes de tesoura a empresária Mônica Moreira, em agosto do ano passado, em Lagoa Seca, foi preso em Três Rios, no interior do Rio de Janeiro.
O crime aconteceu no posto de gasolina vítima.
Ele se encontra recolhido na Casa de Custódia Patrícia Acioli, em Niterói/RJ.
Contra o motorista ainda existe uma acusação de tentativa de assassinato do enteado da vítima, que tentou impedir o crime e também acabou sendo ferido.

O delegado Iasley Almeida, da 10ªAISP/Campina Grande informou que na próxima semana estará tomando as providências necessárias para recambiamento de “flavita” para a Paraíba, a fim de ser ouvido sobre os crimes de homicídio qualificado e tentativa de homicídio praticados em Lagoa Seca contra a empresária Mônica e o enteado.
O delegado Eduardo Almeida representou pela prisão preventiva do acusado que estava foragido desde o dia do crime.
(Fonte: Márcio Rangel e 10ªAISP/Campina Grande)
O CRIME
A comerciante Mônica Moreira Barbosa, de 39 anos, foi assassinada com um golpe de tesoura no peito, na tarde de 28 de agosto/2015.
Ela ainda chegou a ser socorrida pelo próprio filho para Campina Grande, mas antes de chegar a Unidade de Pronto Atendimento, no Bairro Alto Branco, acabou morrendo.
O SAMU ainda foi solicitado para fazer a transferência de Mônica até o Hospital de Trauma, mas não havia o que pudesse ser feito.
O crime aconteceu no posto de combustíveis de propriedade dela e do marido na entrada de Lagoa Seca, após o restaurante “O Bananal”.
O homicídio foi motivado por uma dívida de “16.000,00 reais” que o acusado tinha com a comerciante.
O posto deixou de fornecer, inclusive, combustível a Flávio.
Michel da Silva, de 27, enteado da vítima, acabou ferido com um golpe nas costas.
Flávio foi chamado ao posto para saldar a dívida.
No local, durante a conversa, os ânimos se acirraram e aconteceu o crime.

Nenhum comentário:

Postar um comentário