Menu

quinta-feira, 31 de março de 2016

VEJA O VÍDEO: HOMEM QUE INVADIU FÓRUM PLANEJAVA MATAR JUÍZA E SE SUICIDAR, DIZ POLÍCIA

VEJA O  VÍDEO
video
O homem que invadiu o Fórum Butantã, na Zona Oeste de São Paulo, na quarta-feira (30/03), e manteve uma juíza refém por 30 minutos, sob a ameaça de incendiá-la, planejava matar a magistrada e se suicidar em seguida.
Ele havia jogado líquido inflamável nele e na mulher e com um isqueiro pretendia colocar fogo nos dois.
É o que informa o boletim de ocorrência registrado pela polícia no 51º Distrito Policial (DP), onde o caso é investigado.
O vendedor Alfredo José dos Santos, de 36 anos, foi preso no mesmo dia pela Polícia Militar após se distrair com policiais que o filmavam.
O invasor havia exigido que filmassem a juíza da Vara de Violência Doméstica dizer que ele era inocente da acusação de ter agredido sua ex-mulher.
De acordo com o registro policial, por conta do caso envolvendo a magistrada, Alfredo (que já respondia em liberdade por violência doméstica)  foi indiciado agora por tentativa de assassinato, explosão e resistência.
Por esses crimes, o agressor responderá preso.
Nesta quinta-feira (31), o vendedor foi transferido para o Centro de Detenção Provisória.
O CASO
Para o vendedor, a culpada por ter tirado a guarda do seu filho foi a Juíza.
Na quarta-feira, Alfredo havia sido chamado ao fórum para uma audiência com a magistrada. 
Por volta das 14h, visivelmente abalado psicologicamente, ele invadiu o fórum correndo, com uma mochila repleta de garrafas com líquido inflamável, passando pela segurança.
Em seguida, despejou o líquido e ateou fogo numa escada, impedindo um vigilante armado de alcança-lo. 
O segurança ainda atirou em direção a Alfredo, mas o disparo atingiu a parede.
Sem ser barrado, Alfredo correu até o gabinete da juíza, a agarrou pelo pescoço e despejou um produto químico nela e nele.
Quando seguranças do fórum chegaram à sala da magistrada, Alfredo segurava a juíza pelo pescoço.
 Após negociação com a polícia, ele exigiu que os policiais na sala também filmassem ele segurando a juíza.
Exigia que ela dissesse que ele não era louco e era inocente.
Também pediu que chamassem a TV.
A gravação foi feita por um policial.
Veja abaixo o diálogo gravado por celular por um policial:
Alfredo José dos Santos - “Tá filmando isso aí?”
PM1 – “Tá.”
Alfredo – “Coloca na televisão.”
PM 1 - “Calma, calma, calma. Tenha calma, pô! Eu quero te ajudar, pô!”
Alfredo - “Quero a televisão aqui, agora.”
PM 1 -  “Já pedimo (sic), tá vindo.”
PM 2 – “Tá vindo.”
PM 1 - “Tô sem arma, pô. Fica calmo.”
Alfredo - “Só um minutinho. Peraí, peraí. Eu sou louco?”
PM 1 - “Ninguém quer te prejudicar ”
Alfredo - “Fala para eles bem alto. Eu sou louco?
PM1 – “Ela é inocente.”
Juíza – “Você não é louco.”
Alfredo – “Pera só um pouquinho... Três vezes.”
Juíza – “Você não é louco.”
Alfredo - “Mais uma!”
Juíza – “Você não é louco.”
Alfredo - “Sou culpado de algum crime?”
Juíza – “Não. Nenhum crime.”
PM 1 – “Tenha calma.”
Alfredo – “Vocês ouviram?”
Juíza – “Nenhum crime.”
Alfredo – “Vocês ouviram?”
PM 1 – “Tá filmando.”
Alfredo – “Tá filmando isso aí?”
PM – “Tá.”
Alfredo – “Coloca na televisão.”
Ao término da gravação acima, ele foi detido pelos policiais, rendido e preso. A juíza acabou libertada. Essa ação da prisão também foi filmada.
(G1 São Paulo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário