Menu

terça-feira, 22 de março de 2016

VIGIA É ACUSADO DE MANDAR MATAR DIRETORA DE CADEIA. ELE NEGA

A PC prendeu dois suspeitos de envolvimento na morte da diretora da Cadeia Pública de Ingá, Córdula Veloso Borges.
O crime ocorreu no dia 20 de outubro de 2015.
Ednaldo Ferreira de Andrade, “nal”, de 28 anos, e Eliomar de Brito Coutinho, “má” foram presos em Itatuba e na grande João Pessoa.
Contra “má”, de acordo com a PC, existiam dois mandados de prisão.
Ednaldo era proprietário de uma empresa de segurança irregular em Itatuba.
A diretora da cadeia teria denunciado essa irregularidade ao ministério público e isto lhe custou à vida.
("Má")
De acordo com o delegado Hugo Lucena o mandante do crime já atuou em uma milícia no Rio de Janeiro e é investigado por tentativa de homicídio em Itatuba.
"O mandante do crime tem uma empresa de segurança em Itatuba e expandiu o negócio para Ingá. Só que Córdula, que tinha o hábito de fazer denúncias, percebeu que práticas ilícitas eram realizadas na empresa e resolveu denunciar. O Ministério Público instaurou um procedimento administrativo para investigar a empresa e o proprietário, como forma de se vingar dela, encomendou sua morte".
O delegado contou ainda que "a partir desse momento ele contratou duas pessoas para executar o crime. O que foi preso hoje inclusive é um criminoso muito procurado na região metropolitana de João Pessoa, por envolvimento com outras mortes e tráfico de drogas. Com a prisão dele, iniciamos uma nova etapa da investigação, que é a busca pela identificação do outro executor do crime".
Ednaldo nega qualquer envolvimento com o crime.
As prisões dele e de Eliomar são em caráter temporário.
O CRIME
Córdula Veloso Borges, de 57 anos, estava se dirigindo para o trabalho, em Ingá.
Ela morava na comunidade “Riacho Verde”.
Na manhã da terça-feira, 20 de outubro/2015 por volta das 06h30, o percurso foi interrompido.
Em um dos trechos (km112) da BR 230 entre Campina Grande e João Pessoa ela foi executada com cinco tiros de pistola.
Córdula conduzia um Sedan e teve o veículo emparelhado por outro carro de cor preta.
Um dos ocupantes atirou.
Ele morreu na hora.
Com a mulher, viajavam um neto, de 13 anos, e mais três pessoas.
Córdula também era dona de um restaurante as margens da BR e prima do deputado federal Aguinaldo Ribeiro, ex-ministro das Cidades.
(Redação com portalcorreio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário