Menu

sábado, 16 de abril de 2016

ACUSADO DE HOMICÍDIOS EM CAMPINA É CONDENADO A 54 ANOS DE RECLUSÃO

Fabrício Pedro da Silva “safra” foi condenado a 54 anos de prisão por dois homicídios em Campina Grande.
Durante esta semana o Conselho do tribunal do Júri decidiu que para cada um dos crimes ele vai cumprir 27 anos de reclusão.
“Safra” ainda vai a júri por mais três homicídios.

Ele é apontado como um dos criminosos mais perigosos de Campina Grande.
A prisão aconteceu em janeiro de 2015 pela polícia militar.
As investigações da Delegacia de Homicídios de Campina Grande foram fundamentais para a conclusão da justiça.
(paraibaemqap)
A PRISÃO DE SAFRA

O fugitivo do Serrotão Fabrício Pedro da Silva, de 35 anos, foi preso no inicio da manhã de 28 de janeiro/2015 pela polícia militar no Bairro Araxá, em Campina Grande.
Ele era, até então, um dos homens mais procurados no estado da Paraíba, por homicídios e roubos.
Fabrício foi preso quando deixava a casa dele.
No momento ele não esboçou reação, mas tentou ainda se evadir.
Com “safra” foram aprendidos um revólver calibre “38” que pertence a Secretaria de Segurança e Defesa da Paraíba e uma pequena quantidade de maconha.
Contra ele existiam 11 mandados de prisão, sendo 08 por homicídios e o restante, de acordo com a polícia, por roubo.
O foragido foi preso por quatro soldados (Força Tática) do 2ºBPM.
“Estávamos atentos, pois tínhamos recebido informações de que o foragido encontrava-se numa casa do bairro. Realizamos a prisão no momento em que ele saía da residência. Cumprimos com o nosso dever”, disse o soldado C.Souza.
Na época o acusado falou para a reportagem da Patrulha da Cidade/TV Borborema e disse que “só porque o cara é ex-presidiário todo mundo acha que o que acontece é culpa do cara. Eu passei esse tempo todo em casa, com meus filhos, só saía pra fazer alguma coisa, mas nunca coisa errada. Nem tudo que dizem sobre mim, é verdade”.
Safra mudou bastante a fisionomia no decorrer dos anos.
Ele foi apresentado à delegacia de Roubos e Furtos e a delegada de Homicídios Maíra Roberta.
A policial deixou claro que “a prisão é de extrema importância. estamos lhe dando com um homem procurado durante vários anos que tem uma dívida enorme com a sociedade.”
Ao renatodiniz.com O major Gilberto Felipe, comandante do 2ºBPM, disse que os soldados Leandro Galdino de Siqueira, Luciano Moura da Silva, Antônio Carlos das Chagas e Sousa Júnior e Ramon Antônio do Nascimento, “provaram a maturidade e compromisso da tropa com a sociedade. Isto é uma postura de servidores dignos. São soldados, são homens”.
Os policiais foram referendados para receber um elogio especial do Comando Geral da Polícia Militar da Paraíba.
(renatodiniz.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário