Menu

sábado, 25 de junho de 2016

POLÍCIA CIVIL DA PARAÍBA PRENDE EM FLAGRANTE SEIS PESSOAS DE SÃO PAULO ESPECIALIZADAS NO “GOLPE DA AGÊNCIA DE MODELOS”; GOLPE SUPERA UM MILHÃO DE REAIS

A Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa após 24 horas de diligências ininterruptas conseguiu desmantelar uma associação criminosa com atuação nacional, localizando e prendendo em flagrante seis membros.

Os dois primeiros suspeitos foram presos em flagrante em um hotel no Bairro Tambaú, local em que os suspeitos estavam apresentando a proposta fraudulenta.
A DDF conseguiu descobrir que quatro membros da associação estavam vindo em um voo Guarulhos/João Pessoa.
No aeroporto Castro Pinto os policiais realizaram as prisões no momento do desembarque.
A polícia chegou aos suspeitos através de denúncia encaminhada pelo 197 confirmando que eles fazem parte de uma associação criminosa que age em todo o país, há mais de três anos, especializada na prática dos crimes de estelionato, na modalidade conhecida como “golpe da agência de modelos”, tendo conseguido desviar valores que superam facilmente o montante de um milhão de reais.
O golpe da agência de modelos é praticado da seguinte maneira: os suspeitos se apresentam como uma empresa séria, idônea, que intermediaria a contratação de pessoas aspirantes à carreira de modelo.
Eles utilizam as redes sociais para atrair clientes e marcam eventos em todo o país, através dos quais os interessados preenchem cadastros junto à suposta empresa.
Nos dias seguintes aos eventos, a associação criminosa passa a ligar para os candidatos cadastrados, informando que os mesmos teriam sido selecionados pela agência para seguir a carreira de modelo, passando a cobrar valores que variam entre “2.000,00 a 5.000,00 reais” por pessoa, para que fossem custeadas despesas do contrato.
No entanto, ao receberem os valores das vítimas, os suspeitos simplesmente deslocam-se para a cidade seguinte, onde dão sequência à execução dos golpes, de maneira que nenhuma intermediação à carreira de modelo é feita pela empresa e os candidatos, além de serem enganados, são obrigados a suportar o prejuízo financeiro pelos valores investidos.
As vítimas sequer sabem como postular o ressarcimento dos valores investidos, uma vez que os contratos assinados não contêm os elementos necessários, contribuindo assim para que os suspeitos permaneçam impunes e continuem a executar as condutas criminosas, conseguindo obter um elevado lucro em razão das fraudes praticadas.
As investigações da DDF puderam confirmar, ainda, que os suspeitos chegaram a João Pessoa há menos de uma semana, vindo de Brasília local em que também praticaram as mesmas condutas e que objetivavam dar continuidade às fraudes investigadas.
Verificou-se também que a associação criminosa é composta ainda por outro membro, Marcos Vinicius, que já havia retornado a São Paulo, no momento da deflagração da operação.
Uma breve pesquisa na internet já possibilitou a identificação de dezenas de vítimas da mesma empresa, em vários estados, todas unânimes, informando terem investido altos valores e que os suspeitos desapareceram após o pagamento, agindo de maneira nitidamente criminosa.
As investigações continuarão no sentido de localizar e prender os suspeitos foragidos e de identificar outros membros da associação criminosa e outras vítimas, objetivando a elucidação de toda a conduta criminosa e a garantia de que todos os suspeitos sejam efetivamente responsabilizados pelas fraudes praticadas, além de contribuir para o ressarcimento do prejuízo das vítimas, minimizando os danos morais e materiais praticados pela associação.
(Do Jornal da Paraíba com Assessoria da PC/PB)

Nenhum comentário:

Postar um comentário