Menu

sexta-feira, 8 de julho de 2016

MORRE MULHER ESFAQUEADA PELO MARIDO EM CAMPINA GRANDE; O HOMEM ESFAQUEOU ELA DURANTE A NOITE E NO OUTRO DIA FOI TRABALHAR

Morreu na noite desta quarta-feira (06/07) no Hospital de Trauma em Campina Grande, a diarista Adélia Luís da Silva, de 50 anos.
Ela foi esfaqueada pelo marido, conhecido como Adilson, na noite de 24 de maio.
No dia seguinte ele foi trabalhar como se nada tivesse acontecido enquanto a mulher agonizava.

O golpe atingiu o pescoço.
Porém, de "consciência pesada", ele informou ao patrão que tinha esfaqueado a mulher.
Adélia passou 42 dias internada, se submeteu a três procedimentos cirúrgicos, mas em virtude das complicações acabou não resistindo.
ENTENDA O CASO 
Adélia foi esfaqueada pelo marido por volta das 23h30 do dia 24 de maio na casa onde ela morava com o acusado no Bairro Monte Santo, em Campina Grande.
Às 07h00 do dia 25 de maio ele foi trabalhar e contou o caso ao patrão dele que procurou familiares da mulher.
"Maria", como ela também era conhecida, foi encontrada agonizando e  de imediato socorrida para o Hospital de Trauma.
O golpe atingiu o pescoço.
A reportagem da TV Borborema acompanhou tudo com exclusividade e localizou o acusado sentado e dormindo na frente de um bar no Bairro Monte Santo.
Ele disse que não se lembrava de nada.
A polícia militar foi informada e prendeu o homem em flagrante.
Adilson, conhecido como “preto”, contou na Central de Polícia que realmente esfaqueou a mulher no pescoço e tentou estancar o sangue com papel higiênico.
O motivo do crime foi uma desavença.
A filha de Adélia disse que o casal não tinha histórico de agressões físicas, mas o genro da vítima disse que havia bastante conflitos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário