Menu

sexta-feira, 15 de julho de 2016

PC PRENDE ACUSADO DE MATAR A MULHER COM 40 GOLPES DE FACA EM CAMPINA GRANDE

(Luana: morta pelo marido, diz PC)
Após cinco meses de investigação a polícia civil em Campina Grande prendeu, mediante determinação da justiça, João Paulo Sérgio da Cunha Silva, 35 anos, acusado de matar a própria esposa Luana Teixeira da Silva, de 19 anos, com 40 golpes de faca.
O crime aconteceu no dia 1º de fevereiro dentro da residência onde o casal morava, no Conjunto Acácio Figueiredo, no Bairro das Cidades, em Campina Grande.
Paulo matou Luana por causa de ciúme, disse o delegado Francisco de Assis.
O acusado armou um verdadeiro teatro para que a polícia acreditasse que o crime se tratava de um latrocínio, porém as exaustivas investigações que contaram com o apoio importante e fundamental do IPC concluíram que  a mulher não foi vítima de um ladrão, desmontando assim toda farsa do marido.
Na época, horas após o crime a reportagem da Patrulha da Cidade/TV Borborema flagrou Paulo chorando em frente a residência onde tudo aconteceu.
Ele disse que estava trabalhando na Alpargatas.
Quando voltou encontrou Luana ensanguentada na cama e que o quatro e a sala  estavam revirados.
O acusado afirmou ainda que  a porta estava arrombada e vários pertences foram roubados, dando a entender que havia sido um latrocínio.
O delegado Francisco de Assis Silva foi enfático: "O marido sabia que a mulher tinha um caso extra-conjugal e não aceitava a separação. O amante da mulher queria que ela se separasse de Paulo, pois o amante já havia se separado da esposa".
PONTOS IMPORTANTES PARA A ELUCIDAÇÃO DO CRIME.
*O reboco da parede, ao lado da fechadura da porta, foi retirado com um tipo de objeto.
*A porta em momento algum foi forçada por fora ou por dentro.
*A chave não emperrou na fechadura, numa prova clara de que a porta não sofreu nenhum tipo de pressão.
*Foram roubados (?) uma TV, um Tablet e outro objeto, porém havia dinheiro no guarda-roupa e esse dinheiro estava em um local de fácil acesso para o suposto ladrão.
*A vítima estava em traje de dormir, não havia hematomas no corpo dela que sinalizasse qualquer evento de resistência ou luta corporal.
*Na noite em que encontrou Luana morta, o acusado, segundo a polícia civil, chorava "sem derramar uma lágrima sequer" e isso intrigou os investigadores.
*O acusado simulou um problema de saúde ao saber ou "encontrar a mulher morta", porém o  atendimento do SAMU não detectou sequer queda ou aumento de pressão arterial.
*Paulo matou Luana sob forme emoção, assim se explica o número de golpes.
*Luana, pelo estado de rigidez do corpo, atestou o Laudo, havia sido morta muitas horas antes de ser encontrada pelo marido.
*O renatodiniz.com informa que todas as informações contidas neste texto se baseiam nas informações repassadas pelo delegado Francisco de Assis Silva à Patrulha da da Cidade/TV Borborema.

Um comentário:

  1. Violencia contra mulher esta cada veis mais Frequemte
    Niguem e dono de miguem quando se separa cada um pra seu lado

    ResponderExcluir