Menu

sábado, 20 de agosto de 2016

MENINO ASSASSINADO PELA MÃE EM CAMPINA É SEPULTADO EM BOQUEIRÃO

O corpo de Caio Márcio Nóbrega Marinho, de seis anos, foi enterrado neste sábado (20/08) no vilarejo “Marinho”, em Boqueirão, no Cariri.
Não houve velório.
O corpo saiu do Núcleo de Medicina e Odontologia Legal e foi direto para o cemitério.

Ninguém da família do garoto quis se pronunciar perante a imprensa.
Sônia foi presa em flagrante, teve a Prisão Preventiva decretada e deve ser avaliada por um psiquiatra.  
Havia oito anos que Sônia Paulo Sílvia Soares teve um surto psicótico e ficou internada por aproximadamente três meses no Hospital Samaritano, em João Pessoa.
No entanto, após isto, nunca teve coisa parecida ou apresentou distúrbio.
Nesta sexta-feira (19) Campina Grande tomou conhecimento de uma barbárie cometida por ela.
Por volta das 12h30 Sônia matou, com mais de 50 golpes de faca, Caio Márcio Nóbrega Soares, além disso, ele teve o órgão genital mutilado.
O corpo da criança foi encontrado em cima de uma cama.
Vizinhos ouviram gritos e chamaram a polícia.
O SAMU ainda realizou socorros, mas sem sucesso.
A mãe, Sônia Paulo, ficou no local onde foi presa em flagrante pela policia militar.
Caio Márcio era autista.

6 comentários:

  1. É o fim do mundo... ISSO é a falta de Deus no meio da sociedade, por isso acontece muitas desgraças hoje em dia. Só DEUS Salva.

    ResponderExcluir
  2. lamentavel vc ver uma criança dessa cheia de saude pra dar e ter sua vida parada por uma tal de distúrbio isso e safadeza tem q morre na cadeia isso e a mulher do satanás

    ResponderExcluir
  3. Tenho raiva de bandido, mas não parece que a mãe agiu consciente, muitas cautela nos julgamentos, ela não fugiu do local, parece mesmo ser problema psicológico.

    ResponderExcluir
  4. Tenho raiva de bandido, mas não parece que a mãe agiu consciente, muitas cautela nos julgamentos, ela não fugiu do local, parece mesmo ser problema psicológico.

    ResponderExcluir
  5. Tenho raiva de bandido, mas não parece que a mãe agiu consciente, muitas cautela nos julgamentos, ela não fugiu do local, parece mesmo ser problema psicológico.

    ResponderExcluir