Menu

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

PC EM QUEIMADAS PRENDE SUSPEITOS DE ENVOLVIMENTO NA MORTE DE FRENTISTA DE CAMPINA GRANDE; PC TAMBÉM PRENDE ACUSADOS DE DUPLO HOMICÍDIO

(Venâncio: vítima de latrocinio)
O Núcleo de Homicídios da 11ªDSPC em Queimadas prendeu dois suspeitos de envolvimento um latrocínio que teve como vítima um fretista de Campina Grande.
Contra eles havia um Mandado de Prisão Temporária (válido por 30 dias) pela morte de Venâncio Linhares.
O crime ocorreu no dia 30 de março deste ano.
As prisões ocorreram em Campina Grande.

O corpo de Venâncio foi encontrado por volta das 15h00 da quinta-feira (31/03) a poucos metros das margens da PB148 entre Queimadas e Caturité.
No pescoço havia um profundo golpe, provavelmente de facão.
A vítima tinha ido fazer um frete até Boqueirão e estava desaparecido desde a quarta-feira (30).
A picape dele não foi encontrada.
Venâncio morava nas imediações do Centro de Madeiras, no Rosa Cruz.
O delegado Victor Mello e equipe ainda continuam as investigações deste caso, tanto é que a polícia mantem cautela sobre a participação dos presos temporariamente.
“Estamos chegando à elucidação. Estamos bem próximos de concluir o inquérito e temos que ser prudentes”.
O Núcleo também prendeu no sítio “Cabatã”, em Fagundes Nivaldo Pereira e José Orlando.
Contra eles havia um Mandado de Prisão Preventiva da Comarca de Queimadas por homicídio “duplamente qualificado”.
Eles são acusados da morte de Germano Soares de Lima, em 2011, no município de Fagundes.
OUTRAS PRISÕES DA 11ªDSPC
Em Queimadas:
Um homem de 35 anos foi preso por porte ilegal de arma de fogo.
Na casa dele foram encontradas duas espingardas e 51 munições.
Mas o que chamou a atenção dos policiais civis foi um e fardamento das forças armadas que estava em poder do conduzido.
Em Aroeiras:
A polícia militar, em Aroeiras, prendeu um homem que se identificou como “Erivaldo de Souza Nascimento”.
Ele foi preso por porte ilegal de arma num sítio em Gado Bravo.
No entanto, investigação da PC em Queimadas com a PC de São Paulo se descobriu que o homem preso trata-se de Junior da Silva, irmão de Erivaldo.
Contra Junior havia dois Mandados de Prisão oriundos de São Paulo.
Resultado: ele foi preso por porte de arma e  falsa identidade, além de ter sido cumprido os dois mandados de prisão.
(Redação com 11ªDSPC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário