Menu

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

A INVENÇÃO DE UM LUGAR: A HISTÓRIA DA FAVELA DA CACHOEIRA EM CAMPINA GRANDE É CONTADA EM LIVRO

A favela da Cachoeira em Campina Grande foi, durante décadas, sinônimo de miséria.

Em 2006 esta página foi virada na cidade.
Seus moradores, em sua totalidade, foram transferidos para o então recém-criado Bairro Glória.
Na próxima terça-feira, 13 de setembro, Hilmaria Xavier Silva, Mestre em História pela Universidade Federal de Campina Grande e Doutoranda em História pela Universidade Federal de Pernambuco, lança o livro "A Invenção de um Lugar: vivências e memórias da Favela da Cachoeira". 

O evento cultural acontecerá 19h30, no Museu dos Três Pandeiros, às margens do Açude Velho.
A autora é moradora da zona leste e nascida em Campina Grande.
O LIVRO
Hilmária conta que o livro "A Invenção de um Lugar: vivências e memórias da Favela da Cachoeira" é resultado da dissertação de mestrado defendida no Programa de Pós-Graduação em História da UFCG.
(Hilmaria Xavier: autora)
“O livro conta a História da Favela da Cachoeira, considerada pelo senso comum a favela campinense portadora das piores condições habitacionais. Além da falta de saneamento, coleta de lixo, pavimentação e outros serviços básicos, os moradores locais conviviam com o desabamento de encostas e barreiras. Por mais de quatro décadas, dezenas de casas foram ao chão no período de chuvas, deixando famílias inteiras desabrigadas. A favela chegou a ter, entre os anos de 1959 e 2006 (datas que marcam respectivamente o início de sua formação espacial e a desconstrução daquele lugar enquanto espaço habitado) exatamente 2.336 habitantes, 670 habitações, sendo 40% delas em situação de risco”.

O livro traz ainda relatos orais de memórias de ex-moradores, que contam como era viver na favela, contam suas conquistas decorrentes de suas lutas sociais que resultaram na mudança dos moradores para o Bairro da Glória.

A autora chegou a este objeto de estudo por duas razões: uma razão pessoal, pois sempre foi moradora da zona leste da cidade e cresceu próxima a favela, ouvindo seus moradores, ouvindo o discurso da mídia e a forma como a favela era propagandeada pela sociedade, e por uma razão acadêmica, pois uma História formal sobre a favela da Cachoeira ainda não havia sido contada, e para contribuir com os debates historiográficos acerca dos populares da cidade de Campina Grande.

Com este livro, a autora deseja mostrar que a Favela da Cachoeira não foi somente um lugar de violência e precariedade, mas foi também um lugar de afetividades, festejos, lutas e conquistas.
(Redação com assessoria) 

2 comentários: