Menu

terça-feira, 11 de outubro de 2016

APÓS MORTE DE DETENTO EM PRESÍDIO DE CAMPINA, QUATRO ENVOLVIDOS SÃO TRANSFERIDOS PARA JOÃO PESSOA

(Evandir: morto pelos "companheiros")
Os presos Rafael Silva de Lima, Paulo Akson Alves dos Santos, Jaílson Ferreira de Araújo e Walliston Alves dos Anjos, foram transferidos do Presídio Padrão de Campina Grande, para um dos presídios na grande João Pessoa.
Eles estão envolvidos na morte do detento Evandir Martiniano Dias, de 35 anos, que foi encontrado morto dentro da cela 16, Piso 1, na manhã desta segunda-feira (10/10).

Ele foi espancado por outros presos.
“Entre 30 e 40 presos teriam participado do crime. Estamos com investigações bem adiantadas e identificando cada um deles”, disse o diretor Leni Sucupira.
Evandir estava preso acusado de assassinar com um golpe de faca no pescoço soldado Alexandre Alves Correia Guerra, do 10ºBPM, na madrugada de 11 de outubro de 2014 em Juazeirinho, no Cariri.
ENTENDA O CASO
O crime aconteceu por volta das 03h00 de um sábado.
O policial que tinha 28 anos e morava em Soledade estava de folga quando foi morto.
O soldado Guerra participava de uma festa em um clube social e foi surpreendido pelo assassino que sem nenhuma discussão aplicou o golpe na vítima, disseram testemunhas.
Guerra estava na PM havia cinco anos.
O policial cursava Direito na UNESC em Campina Grande.
O acusado, Evandir Martiniano Dias, então com 33 anos, foi preso em flagrante na zona rural do município.
A guarnição do 3º sargento Cleodon Cabral efetuou a prisão.
Na época ele alegou ter sido agredido pelo PM.
O MOTIVO DA MORTE DE EVANDIR
A direção do Presídio está, juntamente com a PC, investigando o caso.
As motivações, segundo se apurou em princípio, têm a ver com ameaças que Evandir Martiniano vinha fazendo a mulher de outro preso.
Ele tanto a ameaçava, quanto ameaçava os filhos dela.
Sabendo disso, os presos foram “disciplinar” Evandir.
Pelo que foi levantado, o objetivo não seria matar, mas passaram do limite.
Tudo ocorreu na hora de um banho de sol.
Levaram ele para a cela e o espancaram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário