Menu

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

ELUCIDADOS MAIS TRÊS HOMICÍDIOS EM CAMPINA GRANDE, DIZ POLÍCIA CIVIL

*As informações que seguem são de investigações concluídas pela PC (Delegada de Homicídios Tatiana Barros e equipe de agentes).
Equipes de agentes da Delegacia de Homicídios em Campina Grande realizaram várias prisões nesta quinta-feira (10/11) de pessoas envolvidas de três homicídios em Campina Grande.
De acordo com a delegada Tatiana Barros os crimes estão elucidados.
Contra José Kevin da Silva Cruz “pozinho” foi cumprido um Mandado de Prisão pela morte de Nickson  Ricardo da Silva Lima.
O crime ocorreu no dia 30 de junho deste ano e Nickson morreu no 1º de julho no Hospital de Trauma.
Ele foi morto a tiros.
RELATO DA DELEGADA SOBRE O CASO: “segundo as investigações, a motivação do crime foi que Nickson, juntamente com outros vizinhos, no meio da tarde, derrubou um muro que cercava um ponto de tráfico e consumo de drogas existentes defronte à casa da mãe dele. o dono da boca era ‘pozinho’. No início da noite, ao sair da casa de sua mãe, Nickson foi alvejado por disparos de arma de fogo efetuados por ‘pozinho’ exatamente do local aonde o muro foi derrubado. Antes de morrer, Nickson falou o nome do autor do fato. ‘Pozinho’ recusou-se a falar na delegacia de polícia”.
Outros Mandados de Prisão foram cumpridos em desfavor de Silvano da Silva “dedé”, Vanúncio Ferreira Maciel “chulipa” e Rayan Nascimento Silva, pelo envolvimento na morte de Felipe Idalino.
O crime ocorreu no dia 24 de fevereiro do ano passado no Bairro Santo Antônio.
RELATO DA DELEGADA SOBRE O CASO: “Felipe, juntamente com outro rapaz, roubaram a moto da mulher do detento Gilmar Andrade Santos. No assalto, Felipe chegou a agredir mulher, subtraindo a moto. Depois de muita pressão, ao descobrir de quem pertencia a moto, Felipe e o parceiro a devolveram. O medo foi tão grande que Felipe passou um tempo na casa de familiares em outro bairro. No final de fevereiro, com a articulação dos presos Silvano e Rayan, (fazendo um favor a Gilmar), Felipe foi levado ao ‘cheiro do queijo’ para receber um dinheiro de veículos que havia furtado a mando de Rayan. Felipe foi morto por Vanúncio. Gilmar, que já havia progredido de regime, encontra-se foragido”.
O terceiro caso elucidado, de acordo com Tatiana Barros, foi o crime de Felipe Diego “piolho”.
Ele foi assassinado com dez tiros de revólver na Rua José da Silva Chaves, no Quarenta, na noite de 27 de junho/2016.
Os acusados são Luan de Sousa e o irmão Lucinaldo Manoel.
RELATO DA DELEGADA SOBRE O CASO“segundo as investigações, enquanto esteve preso, felipe ‘piolho’ angariou inúmeras inimizades por ser considerado um ‘x9’ dentro do sistema penitenciário. Por causa de suas denúncias, vários presos foram punidos ou transferidos. Um deles foi o ‘naldinho’, que progrediu de regime em maio, mas não cumpriu. Com a ajuda do irmão, o ‘naldo’ foi atrás de piolho e o executou. A morte foi bastante comemorada no sistema penitenciário. No curso das investigações, foi identificado que os irmãos estavam traficando drogas intensamente na liberdade e bairro adjacentes. Na casa de Luan, uma equipe da DRE encontrou um revólver calibre “38”, o qual, após ser submetido à perícia de confronto balístico, foi constatado que foi a mesma arma usada para matar ‘piolho’ ”.
(Redação com informações da Delegada Tatiana Barros)

Nenhum comentário:

Postar um comentário