Menu

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

MEIA MARCELINHO PARAÍBA DÁ DRIBLE NO CAMPINENSE E FECHA COM O RIVAL TREZE

Marcelinho Paraíba já tinha fama de ser bom de passe.
De armar bem as jogadas.
E de finalizar em gol como poucos.
Nesta segunda-feira (28/11), mostrou que também é bom de drible.
E o alvo, desta vez, foi o Campinense e o presidente raposeiro William Simões.
Porque 32 dias depois de ter garantido que estava fechado com o Rubro-Negro e 28 dias depois de ter voltado atrás alegando que o seu clube, o Inter de Lages, tinha vetado a transferência, o atleta foi anunciado como novo jogador do arquirrival Treze.

E o drible foi com requinte de crueldade.
O jogador entrou na justiça do trabalho da Paraíba, conseguiu uma liminar lhe liberando de seu contrato com o clube catarinense e logo em seguida se apresentou para treinar no Galo, que iniciou sua pré-temporada hoje.
A mudança não é pequena.
Marcelinho Paraíba iniciou sua carreira no Campinense, onde conquistou seus dois primeiros títulos da carreira: os campeonatos paraibanos de 1991 e 1993.
E ao longo de sua trajetória, em que passou por clubes como Grêmio, Flamengo, São Paulo, Sport e seleção, sempre disse que iria encerrar sua carreira na Raposa, onde tudo começou.

Tem mais: Pedro Cangula, o pai de Marcelinho, é um dos maiores ídolos e um dos maiores goleadores da história raposeira.
Parecia, enfim, que o meia cumpriria sua promessa agora em 2017.
Chegou a ser apresentado como a principal contratação do Campinense para o ano que vem, mas nesta reviravolta surpreendente acabou no maior adversário do Rubro-Negro.
Na ação judicial movida contra o Inter de Lages, inclusive, o atleta alegou nominalmente que queria a rescisão justamente por já ter negociado contrato com o Alvinegro, e que este só não tinha sido fechado ainda por causa da demora do clube catarinense em liberá-lo.
Na decisão, a juíza Maria Iris Diógenes Bezerra justificou a liminar dizendo que “a parte reclamada (no caso o Inter de Lages) não vem cumprindo as suas obrigações trabalhistas, a exemplo do recolhimento dos depósitos fundiários”, mas que o clube insistia na “reprovável prática de impedir a transferência de seus antigos jogadores por longo tempo, na tentativa de conseguir algum retorno financeiro”.
Comemorando a contratação, o dirigente Fábio Azevedo disse que a liminar tem efeito imediato e que por isso Marcelinho Paraíba já é jogador trezeano.
Fábio, inclusive, mudou drasticamente o discurso dos últimos tempos, quando ele garantia que não existia nenhum diálogo entre clube e jogador.
“Vínhamos conversando com o jogador e definido os detalhes. Faltava uma liberação do clube que detinha os direitos federativos de Marcelinho, mas a liminar resolveu isto. Marcelinho Paraíba já está treinando com o grupo”, explicou.
(Por Phelipe Caldas/Globo Esporte Pb)

4 comentários:

  1. esse idoso ainda serve pra fazer alguma coisa.

    esquecido pelo midia e pelo times grandes.

    ResponderExcluir
  2. Isso é pra vermos que os jogadores não tem amor aos times que jogam não só visam dinheiro e nada mais!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. kkkkkk....quero ver se ele vai ter coragem de fazer gol contra seu time de paixão que e a raposa.saldações aos raposeiros.....

    ResponderExcluir
  4. coitado do pai de marcelinho deve ter sido uma traição muito grande quando ver o próprio filho dele fazer gol contra a raposa.vai fazer história.

    ResponderExcluir