quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

AGORA FOI A VEZ DOS CAIXAS ELETRÔNICOS DA ALPARGATAS; NO SERTÃO LADRÕES EXPLODEM CARRO-FORTE E LEVAM TUDO

Às 03h40 desta quarta-feira (21/12) o Centro Integrado de Operações Policiais registrou explosões de caixas eletrônicos no interior da empresa Alpargatas, no Distrito Industrial de Campina Grande.
Dois caixas foram explodidos, mas não foi confirmado se os bandidos levaram dinheiro.

As informações obtidas pela PM são de que funcionários foram rendidos por homens mascarados que estavam em um Corsa Sedan e um Cruze.
Os ladrões entraram no prédio cortando uma cerca de arame farpado na lateral do terreno, renderam os vigilantes e explodiram terminais.

E ontem (terça, 20), às 13h50 um assalto a um carro-forte da Prosegur foi registrado na BR 230 entre Aparecida e São Domingos de Pombal, no Sertão da Paraíba.
De acordo com o 14ªBPM, um grupo com aproximadamente cinco integrantes realizou um roubo nas imediações do sítio “Serrote do Tigre”.
O veículo seguia no sentido Aparecida e foi ultrapassado pelo bando que se encontrava em um Renault Duster.
Os bandidos começaram a atirar contra o carro-forte.
Os vigilantes tentaram fazer uma manobra, mas não foi possível porque o pneu dianteiro esquerdo baixou.
Os vigilantes, segundo relatório da PM, desembarcaram e fugiram para um matagal.
Imediatamente os criminosos explodiram a carroceria do carro-forte utilizando dinamite e levaram todo o dinheiro.
O carro por eles utilizado foi encontrado incendiado nas proximidades de São Domingos de Pombal.
No dia 11 de outubro uma ação semelhante ocorreu em um trecho da rodovia BR-427, no município de Paulista, também no Sertão paraibano.
Um grupo de bandidos armados trocou tiros com vigilantes e assaltou um carro-forte.
O cofre do veículo foi levado, mas a quantia roubada não foi informada.
Os vigilantes, pouco tempo depois, foram demitidos da empresa.
A empresa alegou que os vigilantes não cumpriram com zelo a atividade que exercem na Prosegur e deixaram de seguir os procedimentos de segurança.
A empresa alegou que a falta dos procedimentos contribuiu para a ação dos assaltantes.
Os vigilantes denunciaram que a empresa não prestou assistência aos trabalhadores abalados com o caso, além de exigir que os vigilantes, mesmo com poder de fogo inferior ao dos bandidos, em menor número e em desvantagem estratégica, revidassem pondo em risco suas vidas.
EM GURJÃO, NO CARIRI
Bandidos também giram na agência dos Correios de Gurjão, no Cariri, por volta das 03h00 desta quinta-feira.
O bando arrombou o prédio levando uma quantia em dinheiro que havia no cofre.

2 comentários:

  1. Infelizmente a todos nós vigilantes a insegurança de exercer esta profissão, pois em algumas empresas a falta de apoio é grande e ainda reivindicam os "peitos" dos vigilantes para defender um patrimônio ! É um descaso o que vivemos e o Brasil cada dia mais uma " ORDEM E PROGRESSO " sem vigor algum ! Lamentável, mas digo a vida ela é única e graças a Deus nada de mal aos vigilantes ! Que Deus os conforte !

    ResponderExcluir
  2. A empresa queria que os vigilantes trocassem tiro com fuzil? Não tem a mínima condição se pelo menos os vigilantes tivessem fuzil aí sim mas peitar contra fuzil atirando de 12 é pedir pra morrer.

    ResponderExcluir