quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

MORTE DE ALINE EM BODOCONGÓ: ACUSADO DISSE QUE ASSASSINOU COMERCIANTE “POR CAUSA DE DÍVIDA”

O acusado de executar com dois tiros a jovem comerciante Aline Albuquerque da Silva, de 26 anos, na tarde de 21 de dezembro/2016, e que se apresentou espontaneamente à Divisão de Homicídios em Campina Grande, seis dias depois, acompanhado de um advogado, disse que “cometeu o crime porque ela estava devendo uma quantia em dinheiro a ele”.

Esta afirmação esta contida no depoimento dele à PC e a informação foi repercutida durante a Patrulha da Cidade/TV Borborema nesta quarta-feira (04/01), em entrevista concedida pelo delegado Francisco Assis Silva.
O valor desse débito seria “inferior a 300,00 reais”.

Como o acusado que ainda não teve o nome revelado livrou o flagrante, foi ouvido e liberado.
O policial acrescentou porém que que um dos filhos de Aline, que presenciou o crime, informou que o executor anunciou o assalto.
As investigações prosseguem , pois tem muita pergunta ainda sem resposta e muita resposta que não condiz com o que realmente pode ter sido a motivação do crime.
Sobre o fato de o acusado se apresentar e não ficar detido, o policial foi objetivo: "cumprimos a lei. Nada mais que isso. Ele se apresentou espontaneamente e não era objeto de investigação".
O CRIME
Aline foi assassinada com dois tiros de revólver na cabeça no na Avenida Juvêncio Arruda, no Bairro Bodocongó em Campina Grande.
O crime ocorreu nas imediações do residencial Dona Lindu I e ela foi morta na frente dos filhos e do marido.
No dia, segundo informações obtidas pela polícia militar, o casal tinha acabado de descer de um carro.
Ela foi abordada por um homem moreno de casaco azul que anunciou um assalto, mas no primeiro momento não apresentou a arma.
De acordo com o marido, a vítima tentou entrar em casa quando o assassino sacou de um revólver, atirou na cabeça dela e depois, mesmo com ela caída, ele se aproximou e efetuou o segundo tiro.
Em seguida o homicida saiu sem levar nada do casal.
Câmeras de monitoramento do Residencial “Dona Lindu” registraram que acusado fugiu numa moto que era conduzida por um comparsa que o esperava próximo ao local do homicídio.
Aline era comerciante e tinha três filhos.

7 comentários:

  1. RENATO DINIZ:

    ... A SOCIEDADE TEM O DIREITO DE SABER A REALIDADE, VOCÊS , IMPRENSA, ESTÃO TENTANDO DE TODOS OS MODOS ESCLARECER ESTE FATO.
    ASSISTI A ENTREVISTA DO DELEGADO E FICO TRISTE EM OUVIR UM DOUTOR DIZER: A SOCIEDADE É LEIGA, ACHO UM DESPREPARO E RESPEITO A TODOS...NÓS!!!
    O QUE NECESSITAMOS SABER É O NOME DESTE SUPOSTO CRIMINOSO...
    SABER A ORIGEM DESTA DIVIDA...
    A DIZER AOS LEIGOS SE O ASSASSINO CONFESSO VAI FICAR EM LIBERDADE...

    ResponderExcluir
  2. essa história de divida não colou.possa ser que essa idéia seja saido do advogado para proteger o seu cliente mas a verdade vai aparecer depois

    ResponderExcluir
  3. tem gente grande ou polico envolvido nesse crime vamos esperar o resultado

    ResponderExcluir
  4. Quando a prisão dele for decretada, será tarde, provavelmente ele já estará longe e o comparsa dele mais ainda. Vergonha dessa "Lei" brasileira.

    ResponderExcluir
  5. Quando a prisão dele for decretada, será tarde, provavelmente ele já estará longe e o comparsa dele mais ainda. Vergonha dessa "Lei" brasileira.

    ResponderExcluir
  6. A policia já era pra deixar ele preso ele vai fugir ai vai ser tarde demais vao so perder tempo

    ResponderExcluir
  7. ele já era para estar apodrecendo na cadeia é pagando pelo seu crime,sé tivéssemos em um país sério,como aqui nó Brasil não tem lei esse assassino tá solto é bem tranqüilo.

    ResponderExcluir