terça-feira, 31 de janeiro de 2017

PM PRENDE ACUSADO DE MATAR JOVEM EM CAMPINA GRANDE; CRIME OCORREU NA CATINGUEIRA

(Renata Nascimento: morta por engano)
Uma guarnição da PM prendeu na manhã desta terça-feira (31/01) na Rua Tamandaré, no Bairro José Pinheiro, em Campina Grande, Paulo Melo Santos, de 28 anos, condenado a 34 anos de prisão por executar Renata  do Nascimento Cruz.
O crime (Homicídio Qualificado) ocorreu na Rua Áurea Moura Ribeiro, no Bairro Catingueira, no dia 19  de maio de 2009.

Renata estava sentada num banco de cimento, em frente a casa onde morava, quando foi assassinada por dois homens numa moto.
Ela foi confundida com uma vizinha.
O crime teve uma enorme repercussão.
Os outros envolvidos, Gilvan Pereira Soares e a irmã dele, Josilene Pereira Soares, condenados a 20 e 21 anos respectivamente, continuam foragidos.
Durante as investigações da PC foi constatado que Josilene e o irmão contrataram Paulo para executar uma mulher, e não Renata. 
No dia do homicídio Gilvan pilotava a moto e Paulo era o carona.
Ele foi preso pelo cabo Kleiton, soldados Queiróz e Pereira.
A reportagem da Patrulha da Cidade/TV Borborema tentou conversar com o acusado, mas ele preferiu ficar em silêncio.
O Mandado de Prisão Preventiva foi expedido em 11/07/2014, oriundo do Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba, (2° Tribunal do Júri, magistrado Falkandre De Sousa Queiroz
Síntese da Decisão:
Diante do exposto, e considerando a decisão soberana do Egrégio Conselho de sentença do 2º Tribunal do Júri desta comarca, julgo procedente a acusação para condenar o réu Paulo de Melo Santos Saturnino, já qualificado, como incurso nas sanções do art. 121, § 2º, incisos I e IV, c/c o art. 14, II e art. 69, todos do Código Penal.
Pena imposta: Trinta e quatro (34) anos de reclusão, em regime inicialmente fechado.
Regime de Cumprimento: Inicialmente Fechado”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário