sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

JÚRI DECIDIU: REGIME SEMIABERTO PARA ACUSADO DE PROVOCAR MORTE DE NAMORADA EM ACIDENTE DE TRÂNSITO

João Arthur Alves, de 25 anos, julgado nesta quinta-feira (09/02) no Fórum Affonso Campos, pela morte da namorada Nayara Ellen Dias do Nascimento, num acidente de trânsito, no dia 07 de março de 2015, na rotatória no Viaduto Elpídio de Almeida, no Centro de Campina Grande, vai cumprir regime semiaberto na Casa Albergue do Monte Santo.

A pena imposta foi de seis anos de reclusão.
Fazia dois anos que João estava privado de liberdade no Presídio Provisório Regional aguardando para ir a júri.
Foram sete horas de julgamento (começou às 13h30 e se estendeu até às 20h30).
Durante a defesa o advogado Bruno Cadé conseguiu desqualificar o caso de “homicídio qualificado”, para “homicídio simples”.
Não ficou provado que houve colisão entre o veículo que Arthur estava e o veículo pilotado por Nayara e que por isso ela tenha perdido o controle da moto e se chocado com um ônibus da Cabral.
Esse importante detalhe defendido exaustivamente pela defesa foi fundamental para o abrandamento da pena.

3 comentários:

  1. Ele pode escapar da justiça do homem, mais da de Deus,duvido. Essa justiça do Brasil mim enoja.

    ResponderExcluir
  2. Ele pode escapar da justiça do homem, mais da de Deus,duvido. Essa justiça do Brasil mim enoja.

    ResponderExcluir
  3. Ódio no coração só complica ainda mais a vida espiritual de um desencarnado em tragédia, esse espírito precisa de muita vibramação de amor, caridade e muita prece pra que encontre a PAZ tão necessária na vida espiritual.

    ResponderExcluir