segunda-feira, 24 de abril de 2017

ACUSADO DE ATROPELAR E MATAR AGENTE DA LEI SECA É PRESO EM JOÃO PESSOA

O juiz Marcos William determinou a prisão de Rodolpho Carlos Gonçalves da Silva acusado de atropelar e matar o agente de trânsito Diogo Nascimento durante uma blitz da lei seca no bairro do Bessa.

A determinação ocorreu na tarde desta segunda-feira (24/04).
O acusado foi preso no prédio onde mora, em Manaíra, área nobre de João Pessoa.
Os advogados dele negaram a informação, mas ela foi confirmada ao Portal Correio não só pelo juiz, como também pelo delegado superintendente da Polícia Civil, Marcos Paulo Vilela.

De acordo com o delegado, ele foi preso no mesmo local onde foi apreendido o Porsche, carro usado no crime.
O delegado informou que Rodolpho Carlos foi levado para a carceragem da Central de Polícia Civil, no Geisel, onde vai aguardar a audiência de custódia que deverá ocorrer nesta terça-feira (25).
Se a prisão for mantida, ele poderá seguir para algum presídio de João Pessoa.
Segundo o juiz Marcos William, titular do 1º Tribunal do Júri da Capital, o processo foi analisado por ele, que decidiu pela prisão e encaminhou o processo ao cartório.
Já designei audiência e está caminhando o processo. Determinamos pela prisão de Rodolpho Carlos”, afirmou o juiz.
O CASO
Diogo Nascimento foi atropelado na madrugada do dia 21 de janeiro quando trabalhava em uma operação da Lei Seca no Bessa, em João Pessoa.
O acusado de atropelá-lo, Rodolpho Carlos, desobedeceu a ordem de parada e avançou um Porsche sobre o agente.
A vítima chegou a ser socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, mas morreu no dia seguinte.
A Justiça pediu que Rodolpho fosse preso, mas o desembargador Joás de Brito concedeu habeas corpus na madrugada do domingo (22), antes mesmo de o suspeito ser detido.
O carro dele foi apreendido.

Durante a semana que se sucedeu ao atropelamento, a Polícia Civil e o Ministério Público da Paraíba formularam novo pedido de prisão de Rodolpho e o caso ficou pendente até esta segunda-feira (24), quando foi tomada a decisão do juiz Marcos William.
(Por Portal Correio)

5 comentários:

  1. A lei tem que ser para todos do mais favorecido ao menos favorecido,e não só pra quem rouba uma margarina pra alimentar o filho.Matou tem que pagar pelo que fez,independente da condição financeira.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente Mércia agente sabe que não é assim, no Brasil as leis só são aplicadas com rigor na chamada lei do P, ou seja pobre, preto e prostituta, mas em fim se esse riquinho for mantido na cadeia, coisa que eu acho difícil, já será muito bom.

    ResponderExcluir
  3. Eu gostaria muito de ver o meu país com leis justas, mas para isso acontecer precisa-se mudar muita coisa, principalmente na classe política de onde saem essas leis absurdas que imperam no Brasil.Mas para isso acontecer o povo brasileiro precisa aprender a votar.

    ResponderExcluir
  4. PENA MÁXIMA PARA ESSE BANDIDO,PARA SERVIR DE EXEMPLO A OUTROS (PÉS DE BOLA)

    ResponderExcluir
  5. Os políticos são santos perto do judiciário brasileiro esse Rodolfo vai pagar umas cestas básicas quando muito uma pena domiciliar no seu casebre, queria ver se fosse ao contrário se o Diogo não estaria julgado atrás das grades, e ainda se desembargador Sr. Joás de Brito iria acordar às 3:00 dá manhã pra expedir um mandato de liberdade pra um pobre que atropelou um rico com seu fusca , a verdade é essa existe uma justiça pra pobre e outra pra rico, mas dá lei do supremo criador eles não escaparão.

    ResponderExcluir