domingo, 9 de abril de 2017

ATOR E HUMORISTA CRISTOVAM TADEU MORRE AOS 54 ANOS EM JOÃO PESSOA

O ator, humorista e diretor de programação e artístico da Rádio Tabajara Cristovam Tadeu, de 54 anos, foi encontrado morto no apartamento onde morava no Centro de João Pessoa na manhã deste sábado (08/09).

De acordo com amigos e familiares, a suspeita é de que o humorista tenha sofrido uma parada cardíaca enquanto dormia.
O corpo foi encontrado pela filha, que estranhou a demora do pai ao acordar.
Segundo a família, o corpo de Cristovam Tadeu está sendo velado na Central de Velórios São João Batista, no Bairro da Torre (Avenida Juarez Távora, 135).
O enterro está previsto para este domingo (09), no Cemitério Senhor da Boa Sentença, às 11h00.
CARREIRA

Cristovam Tadeu Carneiro Vieira nasceu em Cajazeiras, em 6 de maio de 1962 e ainda criança demonstrava talento com a arte.
Aos 12 anos, publicou sua primeira tirinha no Jornal “O Norte”.
O ator começou a trajetória humorística no teatro em 1982, com 20 anos, com o show "Prá Morrer de Rir".
Entrou para o grupo oficial do Theatro Santa Roza, onde atuou com grandes nomes como Ednaldo do Egypto, Lucy Camelo e Pereira Nascimento, na peça “O Dia em que deu Elefante”.
O humorista também foi destaque no teatro infantil, fazendo papéis em “Ali Ladrão e os 40 babás”, “O Consertador de Brinquedos”, “Vamos Brincar de Circo” e “Rock Monstro”.
Aos 23 anos, dirigiu sua primeira peça, “Bailei na Curva”.
Na mesma época, já fazia os próprios shows no Bar Travessia, sendo pioneiro no estilo "one man show", se apresentando sozinho no palco.
Cristovam também era especialista em imitar personagens da política, da cultura e até da religião, como o arcebispo emérito da Paraíba Dom Marcelo Carvalheira, que morreu no último dia 27.
Entre a lista de imitações de Cristovam, está também Ariano Suassuna que resultou no seu trabalho mais recente, o “Movimento Humorial”.
Durante anos sua imitação de Caetano Veloso lhe rendeu fama nacional quando participou de programas de televisão.
Enquanto ilustrador e chargista, Cristovam desenvolveu o projeto "Charges PB na TV" que retratava o cenário político, artístico e mesmo o cotidiano dos paraibanos na TV Cabo Branco.
Em toda a carreira, Cristovam dirigiu, produziu e escreveu 15 shows solo de humor, duas peças de teatro e também trabalhou com rádio, cinema e televisão, atuando em quase cem comerciais em todas as capitais do Nordeste.
O produtor cultural também dirigiu e produziu o primeiro programa de humor da Paraíba, chamado “Sábado de Graça”.
(Por G1 Paraíba)

Um comentário:

  1. cada vez mais a Paraiba vem perdendo os artista do humor.e cada vez mais vai ficando pobre nessa circulo

    ResponderExcluir