quinta-feira, 11 de maio de 2017

NUMA PRAÇA: GALHO DE ÁRVORE CAI E MATA CRIANÇA DE SEIS ANOS EM CAMPINA; SECRETARIA E PREFEITURA SE PRONUNCIAM

(Atualizado)
Uma criança de seis anos morreu após um enorme galho de uma algaroba cair por cima dela na Praça Joana D’Arc na Rua Marinheira Agra, no Bairro José Pinheiro, em Campina Grande.

O acidente aconteceu por volta das 21h30 desta quarta-feira (10/05).
Uma guarnição da PM passava no local e foi abordada por uma mãe com um menino desacordado.

Bastante desesperada ela narrou que um galho de árvore havia despencado sobre ele.
Um adolescente contou que o menino estava sentado no banco quando o galho despescou sobre ele.
O garoto ficou preso, mas foi retirado com vida pelo adolescente.
A polícia solicitou o apoio do SAMU, porém em virtude da demora, a guarnição do Capitão Edmílson e Sargento Cleodon não teve alternativa a não realizar o socorro até o Hospital de Trauma.
Raif Correia Graciano recebeu atendimento, mas não resistiu aos ferimentos.
Este adolescente estava no local e foi quem retirou a criança.
Raif morava com a mãe e mais dois irmãos menores numa casa em um Beco da Rua Amaro Coutinho, também no José Pinheiro.
Ele estudava na escola Municipal Nenzinha Cunha Lima.
Hoje (quinta, 11) as aulas foram suspensas.
Representantes da secretaria municipal de educação e a diretora da escola visitaram a família para prestar solidariedade.
Nesta manhã funcionários da secretaria de serviços urbanos e meio ambiente da prefeitura de Campina Grande estivaram na praça para cortar o galho e retirá-lo do local.
Moradoras das imediações disseram que a qualquer momento ela despencaria, “todo mundo via que a galha ia cair de todo jeito”.
Moradores também disseram que a SESUMA foi informada na manhã da quarta-feira sobre a situação da árvore na Praça.
POSIÇÃO DA SECRETARIA
Em entrevista ao Jornalista Ubiratan Cirne/Rádio Caturité, o secretário Geraldo Nobre Cavalcante, da SESUMA, foi enfático ao dizer quea prefeitura não tem nenhuma responsabilidade sobre o caso. Isso acontece em qualquer cidade do mundo. Vocês viram as últimas reportagens mostram que no Rio de Janeiro que caíram mais de 30 árvores. Aqui nós temos um problema com esta árvore chamada algaroba. Ela não tem estrutura de sustentabilidade e as raízes delas são rasas. Então qualquer vento forte está sujeito a acontecer este problema. Neste mesmo dia que ocorreu este fato no José Pinheiro, nós estávamos fazendo uma ocorrência no Alto Branco de outra árvore que tinha caído, para posteriormente a gente se deslocar até a Praça Joana D’Arc. Então o que é que eu tenho a dizer: Nós estamos muito, muito tristes, a secretaria, o prefeito. É lamentável um fato desta natureza e a gente pede até as mães para terem mais cuidado com seus filhos... Mas foi uma fatalidade, estamos chocados com o acontecimento... Estamos solidários com a família”.
O secretário acrescentou que “este ano a SESUMA foi notificada pelo ministério público por causa da retirada de uma algaroba do Distrito dos Mecânicos que estava oferecendo risco de desabar sobre as pessoas. A árvore é ruim até para se fazer a poda...Vou ter que fazer um relatório para explicar os motivos da retirada da árvore... Gostaria muito que o ministério público me autorizasse a retirar todas as algarobas da cidade para substituí-las por uma espécie que tenha mais sustentabilidade...Vamos voltar a conversar com o ministério público para ver a possibilidade de erradicar esta espécie.
PREFEITURA EMITE NOTA DE ESCLARECIMENTO
De maneira objetiva, informa o seguinte:
Esse tipo de acidente, infelizmente, pode ocorrer em qualquer município do Brasil, levando-se em consta as circunstâncias que colaboraram para a fatalidade. Com o registro de intempéries, nos últimos dias na cidade, árvores antigas apresentam eventualmente algum tipo de fragilidade em suas estruturas orgânicas.
No caso em questão, a árvore da espécie algaroba, já vinha sendo monitorada pela Secretaria de Meio Ambiente e Serviços Urbanos (Sesuma), com recomendação técnica da equipe pela remoção dela do local, mas o Ministério Público Estadual tem-se mostrado irredutivelmente contrário à medida.
A Prefeitura de Campina Grande, ao mesmo tempo em que tenta negociar uma solução junto ao MPE para atuar de forma radical naqueles casos que representam algum tipo de perigo à população, recomenda à comunidade que tente evitar, principalmente em dias de chuvas e de fortes ventos, a proximidade de árvores, principalmente aquelas que foram plantadas há décadas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário