quarta-feira, 24 de maio de 2017

OPERAÇÃO CLONE: POLÍCIA CHEGA A 70 VEÍCULOS APREENDIDOS E 20 ENVOLVIDOS PRESOS

A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC) da Capital, desencadeou, na manhã desta quarta-feira (24/05), a “Operação Clone III”.

Foram 15 pessoas conduzidas à Sede da Central de Polícia, no Bairro do Geisel, entre cumprimentos de mandados de prisão temporária, prisão em flagrante e ainda conduções coercitivas.
O saldo das operações Clone é positivo: apreendeu 69 carros e mais de 20 pessoas foram presas, o que representa a maior operação no Brasil envolvendo veículos roubados.
De acordo com o delegado Nélio Carneiro, a ‘Operação Clone III’ é um desdobramento das outras duas versões, a Clone I e II, nas quais foram apreendidos mais de 60 veículos, uma oficina mecânica foi fechada e uma loja de sucatas.
Nas duas etapas anteriores, nós focamos em quadrilhas que negociavam carros roubados e que eram clonados para serem comercializados de forma legal. Nesta última ação da Clone, nós mantemos o foco em pessoas que movimentavam a documentação ilegal desses veículos. Chegamos a diversos nomes, inclusive, a de pessoas que já tinham sido presas nas duas versões anteriores e que ainda estão usando tornozeleira eletrônica”, disse a autoridade policial.
Entre os presos estão três policiais militares: o cabo da PM Luciano Silva (prisão temporária); o major reformado José Fernandes Sobrinho (foi autuado em flagrante por receptação); e o sargento da PM Severino dos Ramos Tibúrcio da Silva (prisão temporária).
Segundo o corregedor da Polícia Militar, coronel Severino do Ramo Gerônimo, será instaurado um conselho de disciplina que avaliará a participação dos policiais envolvidos, o que poderá acarretar na expulsão da corporação.
A Polícia Militar está acompanhando de perto esta investigação e o conselho disciplinar vai apurar a conduta deles no exercício da função. O procedimento terá a duração de 30 dias. Por enquanto, eles ficarão presos na sede do 1º Batalhão de Polícia Militar, aguardando as decisões da Justiça”, afirmou o corregedor.
Além dos policiais, foram presos: João Batista Ferreira Júnior, empresário e corretor de veículos, que foi preso em Sertânia (PE) e estava com um veículo roubado; José Valter Barbosa, atuava como despachante em Santa Rita e negociava carros roubados; José Fernandes Júnior, adquiria veículos clonados e roubados; Nilson Fernandes da Silva; Rodrigo Rosseto Nogueira; entre outros que já tinham sido autuados nas outras versões da Clone e que ainda mantinham ligações criminosas com o restante da quadrilha, apesar de estarem usando a tornozeleira eletrônica.
CLONE
As duas primeiras versões da ‘Operação Clone’ foram desencadeadas em 2016.
Na primeira, foram apreendidos 14 veículos e quatro pessoas foram presas. 
Na segunda fase, as apreensões chegaram a 50 carros e outras três pessoas presas e nesta última etapa, mais de dez pessoas foram presas e ao todo 69 veículos foram recolhidos.
Ainda conforme o delegado Nélio Carneiro, a ideia é que mais etapas da ‘Operação Clone’ sejam desencadeadas, já que algumas pessoas envolvidas ainda estão foragidas.
As investigações continuam e possivelmente essa soma de pessoas presas e de veículos apreendidos ainda aumente”, finalizou.
MAJOR FOI LIBERADO
O major reformado da Polícia Militar da Paraíba preso, na manhã desta quarta-feira (24), durante uma operação de combate ao comércio de veículos clonados em João Pessoa, assinou termo circunstanciado de ocorrência (TCO) e foi liberado.
A informação é do corregedor geral da Polícia Militar, coronel Gerônimo, que revelou que o Major ao ser preso disse que não sabia que estava com um carro roubado e que o veículo seria do seu filho, por isso assinou o TCE e foi solto.
(Por Wscom)

Nenhum comentário:

Postar um comentário