terça-feira, 11 de julho de 2017

DEPOIS DE 46 ANOS, YOKO ONO FINALMENTE RECEBE CRÉDITO COMO COAUTORA DA CANÇÃO “IMAGINE”

Foto: Lucas Jackson/Reuters
Depois de 46 anos, Yoko Ono finalmente está recebendo o crédito que merece.
A icônica artista multidisciplinar foi oficialmente reconhecida como co-autora de "Imagine", atualmente atribuída a seu falecido marido John Lennon.

A notícia foi anunciada na quarta-feira numa reunião da National Music Publishers Association, pelo CEO da organização, David Israelite.
Ele também premiou "Imagine" com a honra de Centennial Song.
"Embora as coisas possam ter sido diferentes em 1971, hoje estou feliz por poder dizer que as coisas mudaram", afirmou Israelite.
"Então hoje é minha distinta honra corrigir o histórico aproximadamente 48 anos depois e reconhecer Yoko Ono como co-autora de 'Imagine' e de dar a Yoko Ono esse merecido crédito."
Ele então tocou uma entrevista de arquivo na qual Lennon explica que a canção não existiria sem Ono.
"[Imagine] deveria ter o crédito como canção conjunta de Lennon-Ono", disse ele.
"Porque muito dela – a letra e a ideia – veio de Yoko. Mas naquela época eu era um pouco mais egoísta, um pouco mais machão, e meio que omiti a contribuição dela. Mas veio direto de Grapefruit, o livro dela. Há várias peças sobre 'imagine isso' e 'imagine aquilo'."
Getty Images
Grapefruit foi publicado sete anos antes de "Imagine".
O livro é uma peça incomum, bagunçado e tranquilo ao mesmo tempo, cheio de demandas e desejos esquisitos.
"Imagine seu corpo se espalhando rapidamente sobre todo o universo, como um lenço fino", diz uma das passagens.
"Imagine cortar um pedaço do lenço."
Sean Lennon acompanhou sua mãe, Ono, que usa cadeira de rodas, na entrega do prêmio de Centennial Song.
Segundo Lennon, a artista ficou com os olhos cheios de lágrimas ao ouvir o anúncio.
No palco, ela disse que sua saúde frágil a faz apreciar ainda mais a canção e que se sente ainda mais privilegiada por estar viva, afirmou a Variety.
"É a melhor época da minha vida", disse ela, recebendo aplausos.
(Priscilla Frank/MSN)

Um comentário: