terça-feira, 29 de agosto de 2017

EM CAMPINA: 95 ACUSADOS DE HOMICÍDIOS ATRÁS DAS GRADES; MENORES MATARAM UM VIGIA E UM RECICLADOR

As quatro delegacias de combate aos crimes contra a vida em Campina Grande já prenderam 95 pessoas este ano.
Os delegados e auxiliares ressaltam a importância do disque 197 como um parceiro importante nas elucidações dos homicídios.

Os acusados foram presos ou apreendidos em flagrante delito, ou por força de Mandados de Prisão Preventiva, Temporária ou Mandado de Busca e Apreensão.
Recentemente dois crimes foram esclarecidos e os autores são menores de 18 anos de idade.
Os dois homicídios repercutiram na cidade em virtude da forma de como ocorreram.
Um dos casos foi um latrocínio.
NO BAIRRO DAS CIDADES
(José Nelson)
José Nelson da Silva, reciclador, de 40 anos, foi encontrado morto dentro da casa onde morava na Rua Paulista, no Bairro das Cidades, na tarde de 27 de setembro do ano passado.
José Nelson foi assassinado com golpes de barra de ferro na cabeça.
O corpo estava em cima de uma cama totalmente suja de sangue, além disso, a casa estava toda revirada.
É possível que ele tenha sido assassinado durante a madrugada ou pela manhã.
O assassino roubou uma quantia em dinheiro.
O adolescente é acusado ainda de outro homicídio, uma tentativa de homicídio e já foi apreendido por tráfico e porte ilegal de arma.
EM NOVA BRASÍLIA
(Altemar de Menezes)
O outro crime esclarecido é o que teve como vítima o vigia Altemar de Menezes Teixeira, de 30 anos.
O homicídio ocorreu no dia 06 de julho também do ano passado.
Às 23h40 o vigia foi executado com aproximadamente 30 tiros de revólveres e pistolas dentro da casa onde morava na Rua Belo Monte, no Bairro Nova Brasília, na frente dos pais e de uma irmã deficiente mental que foi ferida com um disparo na mão.
Pelo menos, segundo informações obtidas pela polícia militar, cinco encapuzados cometeram o crime.
Os assassinos chegaram ao local, cercaram a residência, chamaram pelo irmão da vítima, disseram que eram policiais e quem reagisse “levaria bala”.
O bando invadiu a residência e executou o vigia.
Um dos assassinos deixou escapar que a morte de Altemar era em represália ao assassinato de um adolescente de 15 anos ocorrido durante a madrugada na feira central.
Só que não existem provas de que o rapaz morto em Nova Brasília teria envolvimento com o crime do garoto.
Nem ele, nem o irmão que também é vigia.
A própria delegada Maíra Roberta, durante entrevista, descartou esta possibilidade.
Resultado: Altemar morreu sem ter nada a ver com o crime da feira.
Durante as investigações foi esclarecida a participação direta na ação criminosa de dois menores de idade, o adolescente apreendido e outro que posteriormente foi vítima de homicídio.
DOIS ADOLESCENTES COMO MOTO ROUBADA
No Bairro Conceição policiais da 3ªDD apreenderam dois adolescentes de 16 e 17 anos com uma moto roubada.
O veículo foi roubado no Conjunto Acácio Figueiredo.
Policias da mesma delegacia prenderam um homem acuso de ameaças contra a própria companheira.
Contra ele foi cumprido um Mandado de Prisão Preventiva.
NO MUTIRÃO
Policiais da 5ª e 7ªDDs com a poio da PM prenderam Carlos Antônio “guaxite”.
Contra ele havia um Mandado de Prisão Preventiva
Ele é acusado de tentar matar o adolescente Thales Kevin Santos Farias, de 13 anos.
Consta na investigação que o acusado efetuou cinco disparos de arma de fogo contra o garoto em janeiro deste ano.
De imediato o Núcleo Especializado em Repressão a Tentativas de Homicídios fez os levantamentos preliminares e após a identificação da autoria repassou as provas para 5ªDD que deu seguimento as investigações, e diante da periculosidade foi representada por sua Prisão Preventiva.
A vítima encontra-se em estado vegetativo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário