quarta-feira, 8 de novembro de 2017

PC PRENDE ACUSADO DE MATAR MULHER E ENTERRAR O CORPO EM COVA RASA

A Divisão de Homicídios em Campina Grande desvendou um dos crimes mais brutais praticados contra uma mulher este ano no município.
O acusado foi preso, confessou o assassinato e deu detalhes de como matou uma jovem com quem teve um relacionamento por cerca de dez meses.

Ele é Émerson Martins de Lima, “merso”, de 20 anos de idade, morador do distrito Galante.
A vítima foi Cristiana Ataíde, de 24, que morava em Santa Rita, na grande João Pessoa.
Ela foi assassinada com golpes de punhal e pedradas.

O acusado cuidou de enterrar o corpo numa cova rasa dentro uma mata às margens da BR 230, próximo à entrada de Galante.
Cristiana desapareceu em junho da casa de familiares em Tibiri, Santa Rita.
A PC descobriu a ossada no dia 13 de outubro.
A prisão do acusado ocorreu às 05h00 desta quarta-feira (08/11) e foi realizada pela delegada Ellen Maria e equipe.
SEM PISTAS
A dificuldade de se desvendar este homicídio estava presente desde o seu nascedouro.
A vítima não era Campina Grande, não existia boletim de ocorrência na cidade dando conta do desaparecimento de uma mulher, não havia procura por mulher desaparecida, não havia denúncia desse crime, não havia praticamente nada na área da 2ªSRPC.
O desaparecimento de Cristiana foi reclamado na seccional de Sapé, na Zona da Mata, fora completamente da circunscrição da Regional de Campina.
A OSSADA
Na tarde do dia 13 de outubro a Delegacia de Homicídios recebeu informação sobre o encontro de uma ossada dentro da mata.
No local, além de ossada, os policiais encontraram um punhal quebrado, roupas, restos de cabelo, pulseira e um par de sandálias, levando a crer que se tratava de uma mulher, mas nada que, naquele momento apontasse um autor e identificasse a vítima.
A partir de então os policiais começaram buscar, junto às seccionais de todo o estado, informações sobre o desaparecimento de alguma mulher.
A polícia chegou a Cristiana.
Familiares dela foram localizados e reconheceram os pertences da jovem.
O CRIME DESVENDADO E CONFISSÃO
Com as investigações aprofundadas, os policiais chegaram ao nome do acusado.
O disque denúncia 197 também auxiliou.
A identificação e localização do culpado foi só uma questão de dias.
Emerson confessou que entrou em contato com ela e marcou um encontro.
Cristiana “pegou” um transporte alternativo e veio para Galante.
Desceu às margens da BR onde Emerson já a esperava.
Isto ocorreu pela manhã.
No depoimento que deu à polícia ele afirmou que conversaram um pouco.
Ele recebeu fotografias onde aparecia Cristiana abraçada com um homem e procurou saber o que era aquilo. Ela respondeu que não tinha nada a ver”, informou a delegada Ellen Maria.
Isto motivou o crime.
Ele aplicou três golpes de punhal no pescoço da jovem.
Usou também a pedra como arma.
Após matá-la saiu do cenário do homicídio, depois voltou com uma pá para cavar a cova e enterrar o corpo.
O local onde ele ocultou o cadáver fica a quase um quilômetro de distância da BR.
Ainda de acordo com a delegada Ellen Maria, Emerson afirmou que por diversas vezes sentiu vontade de visitar a cova onde havia enterrado Cristiana.
O acusado vai responder por homicídio triplamente qualificado (feminicídio, praticado por motivo torpe e crime praticado à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa da vítima), e ocultação de cadáver.
CRISTIANA
Ela foi abusada sexualmente pelo padrasto quando tinha onze anos.
Cristiana era mãe de cinco filhos de vários relacionamentos.
(Todas informações têm como  fonte a PC)

Nenhum comentário:

Postar um comentário