quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

ACUSADO DE MATAR HOMEM POR CAUSA DE BARULHO DE MOTO EM CAMPINA É CONDENADO, MAS VAI RESPONDER EM LIBERDADE.

O borracheiro Felipe Lucas da Silva foi condenado na madrugada desta quinta-feira (22) a seis anos e três meses de prisão por homicídio e tentativa de homicídio.

O julgamento ocorreu no Fórum Affonso Campos.
A vítima fatal foi Otávio Monteiro da Silva.
O irmão dele, Josivaldo Barbosa, saiu ferido.
Conforme o G1 PB, o juiz Bartolomeu Correia Lima, que presidiu o julgamento e como o réu é primário, vai responder em liberdade.
(Redação com G1 PB)
ENTENDA O CASO
A pacata comunidade de “Porteira de Pedra”, em Santa Terezinha/Campina Grande, foi abalada com a morte de um mecânico na noite de 17 de novembro de 2014.
O irmão dele acabou ferido.
De acordo com testemunhas o mecânico Josivaldo Monteiro da Silva estava em casa quando dois adolescentes passaram fazendo barulho ensurdecedor em motonetas com canos de escape adaptados.
Por várias vezes eles fizeram isso.
Josivaldo teria agredido um deles.
O pai deste adolescente, o borracheiro Felipe Lucas da Silva, de 35 anos, foi informado pelo filho.
O borracheiro foi tomar satisfações e aplicou um golpe de faca no mecânico.
O também mecânico, Otávio Monteiro da Silva, de 34 anos, irmão de Josivaldo, saiu de sua casa, partiu em defesa e foi golpeado oito vezes.
Ele e o irmão foram socorridos por familiares, mas em frente ao SAMU, no bairro São José, Otávio acabou morrendo.
Felipe, o acusado, foi ferido com um tiro de revólver.
Ninguém sabe quem atirou nele.
A arma não foi encontrada.
A polícia acredita que Otávio tenha efetuado o disparo e informou que testemunhas também afirmaram que era comum os adolescentes passarem com as motonetas fazendo barulho em frente às residências dos irmãos Otávio e Josivaldo.
“Essa situação não foi criada na noite do crime. Por várias vezes os pais dos adolescentes foram informados desse problema”.
Resultado: famílias destruídas.
OUTRA CONSEQUÊNCIA
Na noite desta quinta-feira, 20 de novembro um incêndio, por volta das 20h00, por pouco não destruiu uma casa localizada na comunidade Porteira de Pedra, em Campina Grande.
Graças ao Corpo de Bombeiros.
Não havia morador na residência que pertence ao irmão de Felipe Lucas da Silva, acusado de matar na noite segunda-feira (17), com golpes de faca, Otávio Monteiro da Silva, de 34 anos.
A casa estava abandonada desta terça-feira (18).
Ninguém sabe que ateou fogo.
O incêndio, acredita a polícia, aconteceu em decorrência da morte do mecânico Otávio Monteiro.
Por causa do clima de apreensão, familiares de Felipe Lucas abandonaram mais três residências na comunidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário