quarta-feira, 30 de maio de 2018

MAIS UM: PC PRENDE ACUSADO DA MORTE DE EX-PRESIDIÁRIO


Policiais da 12ªDSPC prenderam mais um envolvido na morte do ex-presidiário Irailton da Silva, “irá”, ocorrida na manhã de 27 de março em Montadas.

Trata-se de Francisco de Assis da Silva, o “pinguim”.
“Irá” foi praticamente vítima de uma tocaia armada por quatro criminosos.
("Pinguim")
No dia do crime a PC prendeu em flagrante José Rodrigues de Sousa e “pinguim” foi capturado nesta terça (29/05) mediante um Mandado de Prisão Preventiva.
O celular dele ficou na cena do crime, dentro de uma casa, aonde “irá” tentou se refugiar.
A partir de então a PC desmantelou toda trama.
Danilo Orengo, delegado seccional, informou que a morte de Irailton aconteceu em razão dele “atrapalhar” as ações de roubo, furto e outros delitos cometidos por bandidos em Montadas.
“Irá” era bastante respeitado pela bandidagem que via nele um empecilho  para as ações criminosas.
Ele era uma espécie de protetor dos moradores”.
ENTENDA O CASO
Irailton da Silva, “irá”, de 38 anos, foi morto a tiros dentro de uma casa na saída de Montadas para o município de Pocinhos tentando fugir dos seus algozes.
Ele estava cuidando de amimais em frente à residência onde morava quando os assassinos se aproximaram.
Um deles começou a atirar.
Irailton correu para escapar, entrou na casa de um agricultor, mas acabou baleado na sala com dois disparos (um no tórax e outro nas costas).
Informações também dão conta de que a vítima teria sofrido uma paulada na cabeça.
Os criminosos estavam na espreita, em um carro, esperando o “momento certo para agir”.
Ele era casado e tinha filhos menores.
O advogado Alípio Neto, que defendeu Irailton em um júri e algumas ações na justiça, garantiu que seu cliente não tinha condenação e não estava mais com problemas no judiciário.
Na tarde da mesma terça (27/03) policiais da 12ªDSPC prenderam um acusado de ser um dos autores da morte do ex-presidiário.
Com José Rodrigues de Sousa, o “teco”, foram encontradas armas.
Um celular foi fundamental para que a PC esclarecesse o crime.
Todos os membros da associação criminosa foram identificados.
São eles: “Paulistinha”, Francisco de Assis da Silva, o “pinguim”, um adolescente e "teco".
Na época (dia 28) o delegado Danilo Orengo falou sobre o caso em entrevista que concedeu a Patrulha da Cidade/TV Borborema/SBT.
*O CELULAR E AS ARMAS ENTERRADAS
Nos deparamos na cena do crime com um celular que não fazia parte do contexto dos familiares da vítima, nem da esposa da vítima. Automaticamente a polícia apreendeu este celular e de posse desse aparelho (que era de um dos envolvidos conhecido como ‘pinguim’) conseguimos desvendar toda associação criminosa. Prendemos um deles em flagrante (‘teco’). Inclusive todas as armas que foram utilizadas na ação criminosa – 4 armas – foram localizadas enterradas na residência do acusado (‘teco’)”.
*O MOTIVO DA MORTE
 Na verdade a vítima era tida como ‘protetora’ da população local e intimidava as pessoas que cometiam alguns ilícitos na localidade. Diante desse fato ele tinha alguns inimigos (inimigos estes) que vivem no mundo do crime e ontem (terça, 27) planejaram o assassinato da vítima, conseguiram executar a vítima, mas consequentemente a polícia civil conseguiu identificar todos os ‘meliantes’... Os que não foram presos em flagrante serão devidamente representados pela Preventiva (Prisão Preventiva) e responderão por tráfico de droga, associação criminosa e por homicídio qualificado”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário