Menu

quinta-feira, 4 de junho de 2015

LUCAS: FAZ DOIS ANOS QUE A MÃE TRAMOU A MORTE DELE

Relembro aqui um dos momentos mais comoventes de minha vida como repórter.
A mãe que tramou a morte do próprio filho.
A polícia definiu como brutal, covarde e sem nenhum motivo o assassinato de Lucas Pereira, de 11 anos.
O corpo dele, encontrado numa casa abandonada no sítio "Manguape" de Lagoa de Roça, no dia 03 de junho de 2013, foi a confirmação de uma crueldade sem limites.

A mãe dele, Maria da Conceição Pereira do Nascimento (conhecida como Luciana), arquitetou a morte do menino.
O amante dela se encarregou de matar o menino por uma recompensa de “1.000,00 reais”.
A polícia descobriu que Lucas flagrou a mãe beijando o amante, José Júnior Silvino Santos...
Um relacionamento de pouco menos de um mês.    
Ela foi presa na noite em que encontraram o corpo da criança.
Na época, Marcos Paulo Vilela, Delegado Regional, disse  que a barbárie foi premeditada e sem precedentes. 
O testemunho de um agricultor ajudou a esclarecer o crime.
Ele viu a mulher e um homem nas imediações de onde o corpo de Lucas foi encontrado.
“A testemunha viu os dois saírem da casa, e ao tentar dar a partida na moto, o veículo não pegou. A testemunha perguntou o que estava acontecendo; o homem (Júnior Silvino) disse que faltou combustível; a testemunha ofereceu gasolina”, resumiu Marcos Paulo.

Os assassinos levaram o menino numa moto para a morte.
O delegado completou dizendo que os assassinos chegaram a tomar café na casa da testemunha minutos após o crime.
E enquanto Júnior Silvino mostrava nervosismo, a mulher aparentava tranquilidade...
Silvino foi preso em Alagoas Nova, pelo delegado Júlio Ferreira.                                                                                     
Segundo ele o acusado ainda tentou fugir, mas foi preso “pelado” no meio da rua.

Ele confessou o crime e disse que tinha um “romance” de pouco menos de 30 dias com a mulher. Ela teria oferecido “1.000,00 reais” pra matar o menino. 
Lucas havia “visto” um beijo entre o casal.
Júnior disse que matou o menino com uma “gravata”.
A delegada de Alagoa Nova, Patrícia Ricarte, disse que assim que teve acesso ao boletim de ocorrência  percebeu que a mulher estava mentindo. "A história de que a criança tinha sido levada por um estranho, não tinha cabimento. Ela criava uma situação para despistar".
A MÃE TENTOU ENGANAR O MUNDO...

Uma mulher fria que durante seis dias sustentou uma história fantasiosa que mobilizou a população e Polícia nos municípios de Alagoa Nova e São Sebastião de Lagoa de Roça, Agreste paraibano.
Na segunda-feira (03/06/2013), pela manhã, quando segurava a fotografia do filho desaparecido, Maria da Conceição Pereira do Nascimento (Luciana), 31 anos, se mostrava inocente e preocupada.
Ela falava para a reportagem da TV Borborema de um filho desaparecido desde a terça-feira (28/05).
Falava de um sofrimento, de uma dor de mãe... 
Algo que ela na verdade nunca sentiu.
"Luciana" não conseguiu enganar todo mundo por muito tempo.
Ela escondia a verdadeira face de uma mãe cruel que premeditou o que parecia impensável: mandar o amante matar o filho de 11 anos.
Segundo a polícia, Maria da Conceição ou Luciana teve quatro filhos.
Lucas, que ela e o amante mataram, morava com um avô paterno.
Os outros três com avós maternos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário