Menu

sábado, 14 de novembro de 2015

ACUSADO DE ESTUPRO EM QUEIMADAS É ASSASSINADO DENTRO DE PRESÍDIO EM JOÃO PESSOA

Na manhã deste sábado (14/11) Antônio Carlos Mendes Barbosa, de 25 anos, foi encontrado morto dentro de uma das celas do presídio PB1, em João Pessoa.  
No último sábado (07) ele foi preso em flagrante na zona rural de Queimadas, após estuprar uma adolescente de 14 anos e ferir com um golpe de faca o companheiro dela, de 15.
Antônio Carlos foi assassinado durante a noite da sexta-feira (14) por outros dois detentos, que cumpriram ordens líderes de facções criminosas de João Pessoa que também estão cumprindo pena no presídio.
O acusado havia sido transferido para o PB1 na quinta-feira (12).
Os detentos que mataram Antônio Carlos cumprem pena por estupro.  
Ele foi morto possivelmente por esganadura e teve o corpo pendurado nas barras da cela para simular suicídio.
De acordo com o portalcorreio, os líderes de uma facção criminosa haviam ordenado a morte do presidiário como forma de tentar derrubar a direção do presídio.
“Os dois detentos que estavam na cela do presidiário morto confessaram o crime. Eles contaram que foram obrigados a matar o rapaz porque seriam mortos se não o fizessem. A ordem teria partido de líderes de uma facção criminosa para pressionar mudanças na direção do presídio”.
(Redação com: portalcorreio)  
RELEMBRE O CASO
Antônio Carlos Mendes Barbosa, 25 anos, fugitivo de um presídio em Sousa, no Sertão paraibano, foi preso no sábado (07) por policiais militares da 3ªCIPM, após estuprar durante toda a noite da sexta-feira (06) e madrugada seguinte uma adolescente de 14 anos.
A menina foi obrigada a assistir filmes pornográficos antes e no intervalo de cada ato sexual.
O crime aconteceu no sítio Lutador “2”.
Tudo aconteceu na frente do companheiro da garota, um adolescente de 15 anos, que foi esfaqueado e amarrado.
O maníaco por pouco não foi linchado.
Ele era conhecido dos familiares do casal.
A ABORGADAGEM
Por volta das 21h30 da sexta-feira (07), o casal voltava de uma igreja e já próximo da residência apareceu Antônio Carlos armado com uma faca de mesa.
Ele fez a abordagem e sob forte ameaça obrigou as vítimas a levá-lo para onde elas moram.
DENTRO DA CASA
Na residência o estuprador sentou no sofá e obrigou a menina a sentar ao lado dele para assistir filmes pornográficos.
O maníaco começou a acariciá-la.
O adolescente, para defender a companheira, entrou em luta corporal com o acusado, mas levou desvantagem e sofreu um golpe de faca no peito.
Depois de dominado, o garoto foi amarrado com uma corda e com um lençol, e teve que suportar impotente o ato brutal ao qual era submetido à menina.
O ESTUPRO
O estuprador agia como se tivesse fazendo algo normal: assistia filme, acariciava a garota, a levava para o quarto, cometia o estupro, voltava a assistir o filme, acariciava novamente a menina e a estuprava.
Era um ato contínuo que parecia não ter fim.
O ESTUPRADOR SAÍA DA CASA E VOLTAVA... SAÍA E VOLTAVA...
A polícia confirmou que por três vezes Antônio Carlos Mendes Barbosa saiu e voltou para a residência.
A cada contato com o casal, fazia ameaças.
Se as vítimas contassem para alguma pessoa, seriam mortas.
O FIM DO TERROR
Só por volta das 07h00 do sábado o estuprador deixou à residência.
A adolescente desamarrou o garoto e este procurou o tio que por sua vez mobilizou a polícia.
A PRISÃO DO ESTUPRADOR
Como se nada tivesse acontecido o acusado deixou o cenário do estupro e foi embora para a casa dele que fica também no sítio Lutador “2”.
A notícia da violência sexual já tinha se espalhado e moradores da comunidade se mobilizaram para capturá-lo.
Numa estrada, eles avistaram o culpado.
“Assustado”, Luís Carlos correu para sua residência e se escondeu dentro de um guarda-roupas.
Os moradores enfurecidos e revoltados correram atrás.
Como a polícia já havia sido mobilizada evitou um linchamento.
MANÍACO CONFESSOU O ESTUPRO 
Em entrevista a repórter Jaqueline Felipe da TV Borborema, Luís Carlos confirmou o estupro.
“Ele confirmou o estupro, mas disse que não sabe o que aconteceu para cometer o crime; Não soube explicar o motivo desse crime; Não sabe o que deu na ‘cabeça dele’ para cometer este crime”, disse Jaqueline.
“Eu perguntei se ele era usuário de droga, ele disse que não; Eu perguntei se ele era psicopata e ele respondeu que achava que era doente”, completou Jaqueline.
QUEM ERA LUIS CARLOS MENDES BARBOSA?
Luís Carlos era fugitivo de um presídio em Sousa, onde cumpriu uma pena de 06 anos, mas estava foragido.
Ele foi acusado de violentar (estuprar) uma tia e cometer assaltos.
Em depoimento à delegada, Luís Carlos negou estas acusações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário