Menu

domingo, 7 de fevereiro de 2016

PM É PRESO POR ASSASSINATO DE TENENTE EM JOÃO PESSOA

"O resultado dessa investigação é um tapa na cara do jornalismo venal, feito nas coxas, comprometido, irresponsável, deplorável e antiético.
O resultado dessa investigação é um tapa na cara daqueles que, irresponsavelmente, usaram o sensacionalismo para obter seus momentos de fama.
Usaram a morte de um policial no campo de batalha para atingir a instituição, as pessoas, para fazer propaganda  e para se promover.
O resultado dessa investigação premia a informação correta, o bom jornalista e o bom jornalismo.
Premia quem faz comunicação com responsabilidade.
O resultado dessa investigação confirma a responsabilidade diligente da polícia judiciária da Paraíba e eficácia do IPC"Renato Diniz, Jornalista.


O sargento da Polícia Militar da Paraíba, Jailton Santos Pereira, e um homem chamado José Adriano Ferreira, foram presos pelas Polícias Civil e Militar como suspeitos de terem participado da morte do tenente da PM, Ulysses Costa, assassinado na noite da última quinta-feira (04/02), com um único tiro nas costas.
A Polícia Civil continua à procura do terceiro envolvido no crime que inclusive já teve a prisão decretada.
Trata-se de João Anderson Pereira de Sousa (também conhecido por Bingo), filho do sargento Jailton Pereira, que se encontra detido no Batalhão da Polícia Militar.
Durante coletiva na Central de Polícia, o delegado de Crimes contra a Pessoa (Homicídios) da Capital, Reinaldo Nóbrega, fez um apelo para que a população ajude a polícia a encontrar José Adriano, ligando para o Disque Denúncia (197).
“Com a prisão do filho do sargento Jailton Santos a investigação será concluída”, disse o delegado.
Os três, segundo o delegado Reinaldo Nóbrega, são os principais suspeitos de terem matado o tenente Ulisses Costa, no bairro de Mangabeira, em João Pessoa.
José Adriano foi preso em flagrante ainda na noite do crime e o sargento da PM foi detido inicialmente por porte ilegal de arma de fogo em casa.
Mas, após os exames de confronto balístico, feito pela perita Luciana Bezerra Von Szilagyi, a polícia identificou que a arma do crime estava na casa do sargento Jailton Santos, que imediatamente, teve a prisão decretada.
No exame realizado no Instituto de Polícia Científica (IPC), a polícia também descobriu que o sargento Jailton Santos, havia limpado a arma do crime com o objetivo de se livrar do crime, mas o projétil que matou o tenente havia mesmo saído do revólver 38 que estava na casa do sargento.
Na casa dele, a polícia encontrou outras duas armas, uma calibre 40, outra 380 e até munição de fuzil.
O CRIME
O tenente quando foi alvejado pelas costas estava em diligência para prender os donos de uma “boca de fumo” no bairro de Mangabeira.
Ele chegou a ser socorrido e levado para o Complexo Hospitalar Governador Tarcísio Burity, conhecido como Ortotrauma de Mangabeira, mas não resistiu aos ferimentos provocados pela bala e morreu.
O alvo das investigações seria João Anderson Pereira, que estava sendo investigado por porte ilegal de armas e tráfico de drogas.
(Do Jornal A União)
Foto: Marcos Russo?A União

Nenhum comentário:

Postar um comentário