Menu

terça-feira, 4 de outubro de 2016

APOSENTADO BALEADO DURANTE ASSASSINATO DE ESCRIVÃO EM ARARA FICA TETRAPLÉGICO, DIZ MÉDICO; PC DESMANTELA QUADRILHA QUE MATOU O POLICIAL. UM ACUSADO FOI MORTO NA TROCA DE TIROS

Um aposentado de 78 anos, morador de Arara, no Curimataú, ficou tetraplégico após ser atingido por uma “bala perdida” na espinha dorsal na noite desta segunda-feira (03/09) quando o escrivão da policia civil, Marcos Antônio Rosas, de 60 anos, foi morto durante a festa da vitória do prefeito eleito da cidade.

O aposentado não estava participando da comemoração.
Ele, segundo um garçom que também foi baleado com um tiro na perna, estava na porta de casa.
“Foi muito tiro, muito tiro mesmo e muita correria. O aposentado num estava nem na festa, mas um tiro pegou nele”.
Essas informações foram repercutidas na Patrulha da Cidade/TV Borborema/SBT na manhã desta terça-feira (04).
A repórter Cláudia Gomes ouviu o médico que atendeu a aposentado e também o garçom.
Outros três baleados tiveram ferimentos leves e foram liberados na madrugada.
Durante a caçada, a polícia localizou uma casa em Cacimba de Dentro onde estavam os acusados.
Os policiais militares e civis foram recebidos à bala e revidaram.
Resultado: um acusado morreu, três adultos foram presos e dois adolescentes apreendidos.
Três revólveres foram aprendidos.
O morto foi identificado como Cláudio Roberto, de 16 anos.
Foram presos: Pedro da Silva, Pedro Felinto e Adriano Fidelis.
Segundo o superintende Luciano Soares (2ªSRPC/Campina Grande) o motivo da morte do escrivão está relacionada ao fato de ele ter identificado um grupo de assaltantes que vinha aterrorizando a cidade de Arara e região.
"A morte foi uma retaliação", pontuou o delegado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário