terça-feira, 1 de maio de 2018

MAIO COMEÇA COM ENERGIA MAIS CARA


O mês de maio começou com uma notícia ruim para quem pensa em economizar na conta de luz. 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) que é o órgão governamental regulador de produção, transmissão e comercialização de energia elétrica no país, informou que passará para a bandeira amarela.
Há quatro meses que não tínhamos alteração de bandeira, estamos desde o mês de janeiro na bandeira verde, em que não há cobrança adicional para o consumo de kilowatt hora (kWh). 
Com essa alteração, a cada 100 kWh consumidos, o brasileiro terá um acréscimo de R$ 1,00.
A justificativa da ANEEL para a alteração da bandeira tarifária é de que a partir de agora entraremos no período seco, ou seja, o volume de chuva sobre as principais geradoras do país passa a diminuir gradativamente, fazendo com que o uso das termelétricas seja necessário para manter a distribuição nacional de energia.
ABRIL SECO EM "PONTOS CHAVES" NO BRASIL
No mapa de anomalia de chuva sobre o Brasil conseguimos observar que durante o mês de abril diversas áreas tiveram chuva abaixo do normal. 
É o caso, por exemplo, do lago de Furnas em Minas Gerais, onde fica uma das principais usinas hidrelétricas do país.
Segundo informações do Operador Nacional do Sistema (ONS), o reservatório de Furnas está com 33,5% da sua capacidade. 
O ideal é que este reservatório esteja pelo menos com 60% antes do início do período seco.
Anomalia de chuva no mês de abril.
Os tons em laranja representam chuva abaixo do normal e em azul acima
PREVISÃO PARA MAIO
E o mês de maio não traz notícias tão boas para os reservatórios. 
A tendência gradativa é de que tenhamos chuva dentro da média, ou levemente abaixo da média, durante o mês. 
Como o normal de chuva sobre as áreas dos reservatórios é bem menor em relação ao verão, a expectativa é de que a cobrança extra possa ser mantida até o reinício da estação chuvosa no final de setembro.
(Por Climatempo - www.climatempo.com.br )

Nenhum comentário:

Postar um comentário