Menu

segunda-feira, 4 de maio de 2015

RACIONAMENTO: CAMPINA PODERÁ FICAR TRÊS DIAS POR SEMANA SEM ÁGUA; ROMERO CONVOCA REUNIÃO DE EMERGÊNCIA PARA AVALIAR A CRISE HÍDRICA NA CIDADE

Campina Grande e outras 18 cidades da região podem ter um aumento das atuais 36h para 60h semanais sem água.
O aumento no racionamento, que passaria a ser de mais um dia por semana, poderá começar no dia 15 deste mês e prolongar em até 43 dias o abastecimento de água antes da chegada ao volume morto do açude de Boqueirão, que é o manancial responsável pelo abastecimento da região.
Atualmente, o açude de Boqueirão esta com apenas 19,6% da capacidade de armazenamento, segundo a Agência Estadual de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).
O pedido para prolongar o racionamento foi feito pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB).
De acordo com o gerente regional da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) em Campina Grande, Simão Almeida, o MPPB havia solicitado um novo estudo para que medidas fossem tomadas prevenindo o desabastecimento.
“Essa possível ampliação foi um pedido do MPPB para que a Cagepa apresentasse um novo estudo com esse acréscimo nos dias de racionamento. Elaboramos o estudo e vamos apresentar, nos próximos dias, a proposta de acréscimo de mais 24h, totalizando às 60h semanais sem água”, disse o gerente Simão Almeida.
O aumento vai possibilitar a prorrogação do prazo para o alcance do volume morto do açude de Boqueirão, que representaria uma dificuldade maior no abastecimento.
“Vale ressaltar que esse aumento de apenas um dia vai proporcionar uma economia e fazer com que o volume morto, que esta previsto para ser atingido no dia 8 de dezembro, seja alcançado apenas em 20 de janeiro de 2016. São 43 dias que temos a mais para aguardar por mais chuvas”, afirmou Simão Almeida.
Após a reunião com o MPPB, a proposta deve ser enviada para o governador Ricardo Coutinho, que é quem deve decidir sobre o aumento ou não do racionamento.
Caso venha a ser aprovado, o racionamento deve ocorrer entre 17h00 dos sábados e 5h00 das terças-feiras.
(Halan Azevedo/portalcorreio)
ROMERO CONVOCA REUNIÃO DE EMERGÊNCIA PARA AVALIAR A CRISE HÍDRICA EM CAMPINA
O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, vai promover reunião na próxima segunda-feira (12), com os principais órgãos e entidades representativos da sociedade campinense, para debater medidas visando à economia do consumo de água, face à situação critica que se encontra o açude de Boqueirão, que abastece a cidade.
Trata-se de uma ação preventiva e o próprio prefeito deverá, no encontro, anunciar medidas de impacto, as quais devem afetar todos os setores produtivos de Campina Grande e a população de modo geral.
Para o encontro com o prefeito devem ser convidados representantes da Cagepa, Associação Comercial, CDL, Federação das Indústrias da Paraíba, Lions, Rotary, Clubes de Mães, UEPB, UFCG, Associação Campinense de Imprensa, ISA, Exército, ANA, Assembleia Legislativa, Câmara Municipal, dentre outros.
(Codecom)

“SERIA MUITO COBRADA”, DIZ MÃE QUE ABANDONOU BEBÊ EM CALÇADA; JOVEM QUE DEU À LUZ FICOU COM MEDO DA REAÇÃO DA FAMÍLIA. PAI DO BEBÊ AFIRMOU QUE QUER ASSUMIR GUARDA DEFINITIVA

“Tem a visão da sociedade, que querendo ou não ia me julgar como mãe solteira, tem a questão da religião, meus pais são muito influentes na igreja, ia ser uma coisa muito usada, eu seria muito cobrada, teria que dar satisfação“.
Essa foi a justificativa apresentada pela mulher que deixou o filho embaixo de uma lixeira em uma calçada de Cabedelo, na Grande João Pessoa, em entrevista à TV Cabo Branco, para a atitude.
Ela diz que o abandono foi motivado "por desespero e medo da repercussão".
O bebê foi encontrado em uma calçada no dia 1º de abril e no mesmo dia foi divulgado um vídeo de câmeras de segurança em que a mulher é flagrada colocando a criança embaixo de uma lixeira.
A criança foi encontrada por um homem, que posteriormente seria identificado como seu avô.
A mãe do bebê Moisés se apresentou ao Ministério Público após o pai da criança ter ido à polícia e se identificado.
A jovem disse que fez o próprio parto e planejou deixar a criança na calçada ainda durante a gravidez, conforme informou a Polícia Civil.

Ainda de acordo com a mãe de Moisés, o maior medo era de magoar seu pai, que já tinha dado apoio em outra gravidez. 
“Como o meu pai ia reagir? Meu pai é tradicional, eu já tinha tido uma gravidez e já tinha me separado. Do mesmo jeito que ele me apoiou na primeira, eu fiquei naquele receio de magoá-lo de novo. Queria evitar o sofrimento maior para o meu pai, porque eu sei o quanto ele me ama. Filho é uma benção, mas o pai querendo ou não se magoa naquilo de ‘ah, eu já te dei um oportunidade e você tá fazendo isso de novo'”, relatou.
O pai da jovem que deixou a criança na calçada, e também o responsável por resgatar a criança, explicou que se a filha tivesse comentando sobre a gravidez, teria sofrido menos.

“Tomei conhecimento de todos os detalhes, do sofrimento desnecessário que ela passou pra ter esse bebê. Poderia ter falado comigo que sofreria menos. O risco que ela correu, o risco que o bebê correu, o sofrimento que nós estamos tendo, o sofrimento que as pessoas mais próximas também estão tendo. É um momento delicado”, desabafou o avô do bebê Moisés.
Na hora do parto, a mãe estava sozinha em um banheiro da casa em que mora com a família.
"Gritando na toalha para ninguém escutar. Eu estava sofrendo tudo ali só. Segurei o bebê em um braço, a placenta no outro. Cortei o cordão umbilical. Foi muito sangue”, ela relata.
O pai da criança, Moisés Pereira Teixeira, também em entrevista à TV Cabo Branco, comentou que identificou que se tratava do seu filho pela gravação da sua ex-namorada deixando o bebê na calçada.
“Movimentos da pessoa bateram com a pessoa com quem eu tive um relacionamento. No primeiro mês em que começamos a nos relacionar, ela disse que estava grávida, acompanhei ela em todos os exames pré-natais até o quarto mês. No mês seguinte, falou que tinha perdido, que teve um sangramento grande e perdeu a criança”, comentou o pai.
A juíza Graziela Queiroga Gadelha de Souza, responsável pelo caso, explicou que será pedida uma avaliação psicológica da jovem.
O Ministério Público informou que deve denunciar a mãe por abandono de recém-nascido nesta segunda-feira (04/05). 
Enquanto isso, a guarda provisória do bebê fica com o pai.
“Não é nem questão de perdoar, a justiça divina que vai fazer com que perdoe, eu não tenho nada contra. Espero que consiga a guarda definitiva dele, aproveitar muito o meu bebê até a idade que ele seguir o rumo dele. Que filho a gente não cria para gente, a gente cria para o mundo. Agora é viver para ele, que é o mais importante agora na minha vida", arrematou Moisés Pereira Teixeira.
(G1pb/TV Cabo Branco)

LADRÕES ARROMBAM O EXTRA E LEVAM CELULARES

A polícia militar registrou às 04h20 desta segunda-feira (04/05) um assalto ao Extra Supermercado, na Avenida Brasília, José Pinheiro, em Campina Grande.
Dois bandidos entraram por um terreno ao lado do estabelecimento, pularam um muro, fizeram um buraco na parede lateral para ter acesso a o interior da loja.
Ouviu-se um barulho e um segurança, de 38 anos, foi ver o que estava acontecendo.
Ele se deparou com um dos homens armado com uma espingarda.
O segurança recebeu ordem para ficar deitado no chão.
O outro assaltante entrou no prédio, roubou alguns celulares e rapidamente voltou.
A quantidade de aparelhos não foi informada.
A dupla fugiu, a polícia realizou diligências, mas ninguém foi preso.

domingo, 3 de maio de 2015

BINGO ACABA NA BALA E DUAS PESSOAS SAEM FERIDAS

Pense num azar!
Um bingo acabou na bala e com duas pessoas feridas.
José Bezerra Neto, 50 anos, soldador, e Lindomar Calixto de Lima, mecânico, de 34, foram atingidos com tiros no início da noite deste domingo (03/05) durante a realização de um bingo no Centro de Boqueirão, no Cariri.
Foi a maior correria.
“Tudo estava correndo bem” e de repente se ouviu alguns disparos.
Uma guarnição se deslocou até a Praça do “Bairro Novo” e  deparou-se com dois homens caídos.
Eles foram socorridos até o hospital em Boqueirão e em seguida transferidos para Campina Grande
As vítimas informaram que não tinham “a menor ideia do motivo dos disparos”.
José Bezerra foi atingido com dois tiros nas costas e Lindomar, no tórax e na face.
Eles não correm riscos de morte, segundo o Trauma.

POLICIAL DA CPTRAN RECUPERA QUATRO MOTOS ROUBADAS EM CAMPINA GRANDE: VEÍCULOS ESTAVAM EM UMA CASA NO "SOVACO DA COBRA"

No final da manhã deste domingo (03/05) o cabo Wellington da Silva Barbosa, da CPTran, em Campina Grande, recebeu uma informação de que numa casa localizada numa invasão do Bairro Dinamérica tinha uma moto roubada.
O policial, de folga, se dirigiu ao local e percebeu uma “movimentação estranha”.

“MÁRIO DE SOUZA ARAÚJO”. CRÔNICA DO FILHO MARCONE PEREIRA DE ARAÚJO

Meu pai, MÁRIO DE SOUZA ARAÚJO, você se foi hoje!
Mas ficou em nossos corações, eternamente.
Ficou a saudade e, principalmente, seu belo exemplo.
De honradez, de humildade, de simplicidade, de autenticidade.
De fortaleza interior, de pensamento do bem, de grandiosidade de gestos e atitudes. Sobretudo para aqueles mais simples, mais necessitados de uma palavra amiga.
Sabe, pai, lembro de ti como gente decente, brilhante, servindo a todas as pessoas com absoluto desprendimento. Porque não tinha vaidade, tinha coração.
Não tinha ganância, a sua trajetória de vida era a trajetória da paz, da esperança e do amor.
O senhor era um gigante, pai!
O senhor é GIGANTE, meu pai!
Não! Eu sei que não morreu! O senhor apenas partiu para outro plano, na certeza de aqui deixa um exemplo de vida digna, de coragem, de altivez.

RETIFICAÇÃO: CASA QUE ATEARAM FOGO NÃO PERTENCE A JOVEM QUE FOI ASSASSINADO EM CAMPINA GRANDE

(RETIFICAÇÃO)
A casa onde morava Lucas Silva Oliveira, no Dinamérica, não  foi o alvo de um incêndio no final da noite deste sábado (02/05), como afirmou o blog, mas sim outra residência vizinha.
O corpo de bombeiros foi chamado e evitou que o fogo se alastrasse.
Lucas, de 25 anos, foi assassinado com três tiros de revólver na tarde da sexta-feira (01/05), na Travessa Beira Rio, no Bairro Dinamérica, em Campina Grande.
O local é conhecido ainda como “sovaco da cobra”.
Horas após o crime uma fonte confidenciou ao renatodiniz.com que ouviu “gente dizendo que ia tocar fogo na casa com tudo dentro”.