Menu

domingo, 23 de novembro de 2014

HOMEM É ASSASSINADO COM TIRO DE ESPINGARDA CALIBRE “12” EM CAMPINA GRANDE

 
Por volta das 17h30 deste sábado (22/11) no sítio Grotão, em Campina Grande, foi assassinado com um tiro de espingarda calibre “12”, no rosto, Rodrigo Ramos dos Santos, 28 anos.
Os assassinos estavam em um carro e o executor usava um capacete.
A mulher dele disse que Rodrigo já havia sido vítima de uma tentativa de homicídio.
Ele foi morto em virtude de ter sido testemunha de um crime, acredita a família.
O rapaz era reciclador de lixo.

sábado, 22 de novembro de 2014

BANDIDOS INVADEM CASA DE IDOSO DE 91 ANOS EM CAMPINA GRANDE

 
Por volta das 20h20 desta sexta-feira (21/11) três bandidos armados com facas e armas de fogo invadiram a casa de um idoso de 91 anos, localizada no sítio "Laranjeiras", em Campina Grande.
No momento da ação, estavam na residência o idoso e a filha dele de 54 anos.
Os ladrões levaram quase “2.000,00 reais” e dois cofrinhos “cheios de moedas”.
Durante o crime os bandidos ameaçaram as vítimas e chegaram a revirar a casa em busca de mais dinheiro e objetos.
A polícia realizou diligências, mas sem êxito.

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

PC E PM PROCURAM LÍDER DE QUADRILHA QUE COMANDA INVASÕES DE CASAS; PARTE DO BANDO JÁ ESTÁ NA CADEIA

("Tana" ou "Bacuri": procurado pelas polícias)
Policiais da 12ªDPC/Esperança e do 10ºBPM em um trabalho conjunto estão desmantelando uma associação criminosa acusada de crimes de roubo em de Areia, Alagoa Nova, Matinhas, São Sebastião de Lagoa de Roça, Remígio e Lagoa Seca.
Esta semana foram cumpridos dois mandados de prisão (da comarca de Areia, no Brejo), contra Wellington Lúcio da Costa, “bolinho”, e Isaac Leandro Cordeiro Espínola, “trincão”.
Eles foram presos em Alagoa Nova, no Brejo.
Os dois estão sendo investigados pelo envolvimento em ações criminosas por um grupo comandado  por José Adaílton Lúcio da Costa, conhecido por “TANO de LUIZINHO ou BACURI”.
Além dele, as polícias procuram por “Paulo de Expedito”.
O delegado Cláudio Manoel (Núcleo e Homicídios em Esperança) disse na TV Borborema/Campina Grande que “bolinho” e “Trincão” apontavam possíveis alvos e se beneficiavam com os produtos roubados.
“Foi um trabalho de investigação baseado em fatos e em informações sigilosas obtidas tanto pela polícia civil, quanto pela militar”, disse o delegado.
O comandante do 10ºBPM, Major Sérgio Fonseca acrescentou que “estamos com o Serviço de Inteligência na Região. Não estamos parados. As prisões acontecem diante de provas”.
Além dos dois presos, que estão na cadeia pública de Areia, no Brejo, já foram capturados José Clóvis Dias da Rocha (“paulista”), Cícero Alan da Silva (Márcio), José Antônio de França Filho (“mancha”), Lindiano de Sousa Cândido (“lindo”) e Edigley Imperiano da Silva (“gordim de geni”).
(Por informações da PC Esperança/Núcleo de Homicídios e 10ºBPM)

ADOLESCENTES PERIGOSOS, MAS FORA DE CIRCULAÇÃO; BANDIDOS QUE ASSALTARAM ÔNIBUS DE ESTUDANTES EM CAMPINA ESTÃO ATRÁS DAS GRADES

 
Um trabalho silencioso, criterioso e de resultados.
Foi assim que agiu a Delegacia da Infância e Juventude/Campina Grande quando solicitou à justiça a apreensão e busca de dois bandidos de 16 anos que na noite de 29 outubro/2014 invadiram um ônibus da empresa São José e assaltaram quatro estudantes.
A dupla está acomodada no Lar do Garoto em Lagoa Seca, na grande Campina.
O veículo estava estacionado na frente da Faculdade Maurício de Nassau, no Bairro Liberdade.
Os ladrões entraram no ônibus e obrigaram o motorista a conduzi-los a até um local da Avenida Vigário Calixto, no Bairro Catolé.
Havia aproximadamente trinta estudantes, no entanto só quatro deles foram roubados.
Desastrados, os ladrões deixaram uma mochila e alguns celulares.
No dia do crime o comandante do 2ºBPM, coronel Lívio Delgado, disse que "encontramos um celular dentro carro e quando fomos averiguar o conteúdo do equipamento, várias fotos existiam no aparelho. Quando mostramos as vítimas, todas o reconheceram como um dos assaltantes”.
Mais dois envolvidos, já identificados, estão sendo procurados. 

COLETE BALÍSTICO LIVROU VIGILANTE DA MORTE DURANTE TROCA DE TIROS

 
Um colete balístico livrou um vigilante da Cavesa de ser assassinado na noite desta quinta-feira (20/11) em Campina Grande.
De acordo com ele, pelo menos três homens tentaram lhe tomar um revólver e houve troca de tiros.
O segurança da empresa foi atingido, mas graças ao colete balístico ele não se feriu.
Caso não fosse a proteção, o tiro teria acertado o peito fatalmente.

Após o confronto, dois homens fugiram numa motocicleta e o outro ferido entrou cambaleante numa Kombi de cor branca que estava nas imediações, disseram testemunhas ao delegado Antônio Lopes.
Dez minutos após este caso na Cavesa, Deywison Correia, de 20 anos, que morava na zona leste, foi deixado morto em uma calçada da Rua Severino Galileu, no Bairro Jardim Paulistano, por ocupantes de uma Kombi.
Ele foi retirado do veículo por um casal que se encontrava nas proximidades e também com a ajuda de um dos ocupantes do carro.
Deywison foi atingido com dois disparos: um no peito direito e outro na mão.

POLÍCIA AINDA SEM PISTAS DOS LADRÕES QUE LEVARAM 5 MIL REAIS DE CAMINHONEIRO E 31 MIL REAIS DE VETERINÁRIO

 
Às 15h00 desta quinta-feira (20/11) um caminhoneiro foi assalto por três homens em duas motocicletas de cor vermelha que levaram dele a quantia de “5.000,00 reais”.
Em seguida ele e funcionários foram trancados em um armazém.
O crime aconteceu na comunidade Lagoa do Jucá, em Alcantil, no Cariri do estado.
Os ladrões, que estavam armados com revólveres e espingardas, fugiram para Santa Cecília, na divisa de Paraíba com Pernambuco.
Já em uma fazenda, em Itabaiana, no Agreste, dois homens assaltaram um médico veterinário de 71anos e a mulher dele, de 57, para roubar um veículo Space Fox 2012 de cor branca, uma TV, um revólver, um rifle e a quantia de “31.000,00 reais”.
O casal foi amarrado e só após cerca de uma hora conseguiu se desamarrar.
O crime aconteceu 20h30 da quarta-feira (19).

CASA INCENDIADA EM CAMPINA; TUDO TEM A VER COM HOMICÍDIO CAUSADO POR BARULHO DE CANO DE MOTO

 
A confusão por causa do barulho de um cano de escape modificado em uma motoneta, que culminou com a morte de um mecânico, o irmão dele ferido e um borracheiro preso, tem deixado uma comunidade apreensiva.
Na noite desta quinta-feira (20/11), um incêndio, por voltas das 20h00, por pouco não destruiu uma casa localizada na comunidade Porteira de Pedra, em Campina Grande.
Graças ao Corpo de Bombeiros.
Não havia morador na residência que pertence ao irmão de Felipe Lucas da Silva, acusado de matar na noite segunda-feira (17), com golpes de faca, Otávio Monteiro da Silva, de 34 anos.
A casa estava abandonada desta terça-feira (18).
Ninguém sabe que ateou fogo.
O incêndio, acredita a polícia, aconteceu em decorrência da morte do mecânico Otávio Monteiro.
Por causa do clima de apreensão, familiares de Felipe Lucas abandonaram mais três residências na comunidade.
ENTENDA O CASO
(Otávio Monteiro)
Segunda-feira, de acordo com testemunhas, o mecânico Josivaldo Monteiro da Silva estava em casa quando adolescentes passaram fazendo barulho em motonetas com canos de escape adaptados.
E esta não teria sido a primeira vez que os adolescentes passavam acelerando e fazendo o barulho ensurdecedor com as motonetas.
Josivaldo teria agredido um deles que chamou o pai, Felipe Lucas da Silva.
Felipe aplicou um golpe de faca no mecânico.
(Felipe Lucas)
O também mecânico, Otávio Monteiro da Silva, irmão de Josivaldo, saiu de sua casa, partiu em defesa e foi golpeado oito vezes.
Ele e o irmão foram socorridos por familiares, mas em frente ao SAMU, no bairro São José, Otávio acabou morrendo.
Felipe foi ferido com dois tiros de revólver e está internado no Hospital de Trauma na Enfermaria Cela.