sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

PC PRENDE ACUSADO DA MORTE DA PRÓPRIA MULHER; VÍTIMA SOFREU GRAVES LESÕES NAS PARTES ÍNTIMAS

(Rayane de Melo)
Policiais civis em Ingá, no Agreste, descobriram a farsa montada por Paulo Jéferson da Silva, 25 anos, que de acordo com as investigações foi quem matou a própria mulher Rayane de Melo Serafim, de 23 anos.
O delegado Valdélio Lobo informou ao renatodiniz.com que “Paulinho”, como é conhecido o acusado, forçou a esposa dizer que ela tinha sido estuprada e agredida em João Pessoa.
O suposto estupro teria ocorrido domingo (25/12).
Na verdade, segundo o delegado, essa viagem para a capital não ocorreu.

Na terça (27), acompanhada do marido, ela procurou atendimento no ISEA, em Campina Grande, onde acabou morrendo.
O médico Delmiro Ramalho, que atendeu a jovem, disse a reportagem da TV Borborema que “a paciente deu entrada por volta do meio-dia apresentando quadro grave com sangramento genital, quadro de anemia grave e possivelmente com sangramento intra-abdominal. Ela foi devidamente atendida, solicitado exames, encaminhada a UTI Materna, apesar de ela não estar grávida”.
O médico acrescentou que logo após ela dar entrada na UTI teve uma parada cardíaca. 
“Ela foi submetida a todas as manobras de ressuscitação, mas infelizmente não se obteve êxito”.
Nesta quinta-feira (29) a PC solicitou a Prisão Preventiva de “Paulinho”, no que foi prontamente atendida.
O delegado informou também que é possível que o acusado tenha introduzido um objeto perfuro contundente de maneira violenta e profunda nas partes íntimas de Rayane para causar sangramento, além de dores intensas.
Para isso o delegado tomou como base um contato com o IPC em Campina Grande.
Também na entrevista que concedeu a TV Borborema na terça-feira, o médico Delmiro Ramalho falou sobre esta situação.
“A jovem disse que tinha um sangramento genital desde o domingo (25) e que durante a consulta, procuramos saber alguma causa e ela finalmente esclareceu que foi violentada sexualmente por um ‘rapaz’ que ela não sabia quem era, em João Pessoa, no domingo; E apesar de a nossa função não ser policial, conversando com o marido dela (já que tinha algumas lesões genitais, algumas lesões corporais nela),ele disse que tinha vindo de João Pessoa no domingo e que ela tinha ficado lá”.
Valdélio Lobo conclui o contato com o renatodiniz.com informando que o acusado espancava bastante a vítima.
Essas agressões eram contínuas.
Vizinhos temiam denunciá-lo.
Além do delegado, participaram da investigação os agentes Victor Prado e Jocean Oliveira, além da Delegacia da Mulher em Campina Grande.

5 comentários:

  1. tem quê faze o mesmo com ele pra ele cetim à dor. vagabundo.

    ResponderExcluir
  2. tem quê faze o mesmo com ele pra ele cetim à dor. vagabundo.

    ResponderExcluir
  3. quando ele chegar no presidio ai vamos ver se ele é mesmo violento.quando os cara pegar ele.vão fazer um serviço completo nele

    ResponderExcluir
  4. Safado, só desejo que você apodreça na cadeia seu imundo

    ResponderExcluir