quarta-feira, 26 de abril de 2017

POLÍCIA PRENDE 12 ACUSADOS DE INVASÕES DE CASAS E HOMICÍDIOS NA REGIÃO DE CAMPINA

Aproximadamente 130 policiais civis e militares foram mobilizados para o cumprimento de 16 Mandados de Busca e Apreensão e de Prisão de pessoas acusadas de invasões de residência na zona rural de Alagoa Nova, Matinhas, São Sebastião de Lagoa de Roça, Lagoa Seca, Montadas, Areial, Puxinanã e Esperança.

Existem também acusações de tráfico e três homicídios.
As ações ocorreram no início da manhã e na tarde desta quarta-feira (26/04) em Lagoa Seca, Alagoa Nova, além de São Sebastião de Lagoa de Roça.
Dos doze capturados pela polícia, dez são adultos e dois deles são adolescentes de 15 e 16  anos.

Os presos são: Rafael Barros da Silva, David Correia de Lima,  Flávio Guilhermino de Araújo, Leonardo da Silva Lourenço, Douglas Augusto Mendes de Oliveira, Rafael Pereira de Oliveira, Vagner Gonçalves Fernandes, Tállison de Souza Silva, Roberto Carlos Ribeiro da Silva, Ricardo da Silva Cândido Ribeiro (filho de Roberto Carlos).
Um dos dois adolescentes também filho de Roberto.
No total foram cumpridos nove Mandados de Prisão decretados pela justiça, dois de Busca e Apreensão e quatro flagrantes por causa de quatro armas apreendidas.
Durante buscas na casa Roberto Carlos da Silva Ribeiro, por exemplo, foi encontrado um revólver.
Ele disse em entrevista a Patrulha da Cidade/TV Borborema que é um homem trabalhador e que vai provar isto na justiça.
Ele assumiu que a arma estava na cocheira.
O filho dele, Ricardo Cândido, que é albergado, disse que é inocente e vai provar isto na justiça.
Os delegados seccionais da 10ª e 12ª Delegacias, Iasley Almeida e  Henry Fábio foram enfáticos e deixar claro que “a ação integrada das polícias civil e militar foi contundente e desmantelou um núcleo vicioso de pessoas envolvidas diretamente com roubos em residências, tráfico e até três homicídios”.
Entre as mortes consta o esquartejamento ocorrido na comunidade Floriano, em Lagoa Seca, disse a PC.
O delegado Henry Fábio informou que desde janeiro a polícia vinha investigando as ações criminosas e “juntando as peças”.
O delegado Jorge Luís, também da 12ªDSPC e agentes foram fechando o cerco e conseguiram o aval da justiça para agir juntamente com a PM que teve fundamental importância nas investigações.
O comandante Pablo Cunha (10ºBPM) afirmou que ficou surpreso com a covardia dos acusados.
Durante as prisões eles demonstraram ser pessoas inofensivas, inocentes, porém são covardes. Quando invadiam as residências deixavam como marca registrada, o terror. São pessoas violentas, mas extremamente covardes”.

2 comentários: