Menu

sexta-feira, 8 de julho de 2016

CAGEPA VAI AMPLIAR RACIONAMENTO EM CAMPINA GRANDE E MAIS 18 CIDADES

*Abastecimento de Campina Grande vai ser divido em duas zonas de bairros.
*Cidades do Brejo vão ter água por apenas 48 horas a cada 15 dias.
O racionamento de água de Campina Grande e outras 18 cidades do Agreste paraibano, que são abastecidas pelo açude Epitácio Pessoa, conhecido como “Boqueirão”, vai ser ampliado ainda neste mês de julho.
A informação foi confirmada pelo gerente da Companhia de Águas e Esgotos do Estado da Paraíba (Cagepa), Ronaldo Menezes, e a previsão é que as novas medidas sejam adotadas a partir do próximo dia 18.
Em Campina Grande, alguns bairros poderão ficar até cinco dias sem água nas torneiras.
Algumas cidades do sistema adutor do Brejo terão água por apenas 48 horas a cada 15 dias.
Segundo a Cagepa, Campina Grande vai ser dividia em duas zonas.
A Zona 1 vai ter abastecimento das 5h00 da segunda-feira até 23h59 da quarta-feira.
Já na Zona 2 o abastecimento vai ser das 5h00 da quinta-feira até 13h do sábado.
Entre 13h do sábado e 5h00 da segunda-feira não haverá água em nenhum local de Campina Grande.
Essa medida vai ser adotada a partir do dia 18 de julho.
De acordo com o Ronaldo Menezes, alguns locais de Campina Grande podem ficar até cinco dias sem água.
“A cidade vai ser dividias em duas regiões, cada uma vai ser atendida por três dias. Existem bairros mais altos que a água pode demorar mais para chegar. Nos primeiros dias vamos observar tudo o que vai acontecer para avaliar o que pode ser adaptado”, disse ele.
SISTEMA ADUTOR DO BREJO
Ainda segundo o plano apresentado pela Cagepa, as cidades do sistema adutor do Brejo paraibano vão ser divididas em dois eixos.
Na cidade de Lagoa Seca, que faz parte do eixo 1, o abastecimento vai acontecer por 48h a cada 15 dias, sendo das 13h00 da quinta-feira até 13h00 do sábado.
Essa medida vai ser adotada a partir do dia 21 de julho.
No eixo 2 do sistema adutor do Brejo, que comporta as cidades de Alagoa Grande, Matinhas e São Sebastião de Lagoa de Roça, o abastecimento vai acontecer por 48h a cada 15 dias, sendo das 13h00 da quinta-feira até as 13h00 do sábado.
Essa medida vai ser adotada a partir do dia 28 de junho.
SISTEMA ADUTOR DO CARIRI
Outro sistema adutor que sofrerá mudanças é o do Cariri paraibano, que também será divido em dois eixos.
Nas cidades de Boqueirão, Boa Vista e Soledade, que compõem o eixo 1 do sistema do Cariri, o abastecimento vai ser fornecido a cada 15 dias, da madrugada da segunda-feira até 17h00 da sexta-feira.
Esse regime vai ser adotado a partir do dia 18 de julho.
Já no eixo 2 da adutora do Cariri, que comporta as cidades de Olivedos, Juazeirinho, Pedra Lavrada, Seridó, São Vicente do Seridó, Cubati e Cabaceiras o abastecimento vai ser fornecido a cada 15 dias, da madrugada da segunda-feira até 17h da sexta-feira.
Esse regime vai ser adotado a partir do dia 25 de julho.
VOLUME DO AÇUDE
Segundo a Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), o nível de água do açude de Boqueirão, nesta quinta-feira (07/07) é de 8,4% da capacidade total, que represente 34,8 milhões de metros cúbicos.
Este é o pior nível da história do açude, desde que ele teve a primeira sangria. O racionamento de água nas cidades abastecidas pelo açude de Boqueirão acontece desde dezembro de 2014.
VOLUME MORTO
Segundo a Cagepa, o volume morto do açude de Boqueirão pode ser atingido a qualquer momento. 
A previsão da companhia era de que isso tivesse ocorrido em dezembro de 2015, mas o sistema adutor ainda continua eficaz.
A companhia instalou bombas de captação flutuante no açude.
“Sabemos que está bem próximo, mas não temos precisão do dia, pois só usaremos o volume morto quando o sistema convencional não conseguir mais captar a água. Isso deve ser indicado quando a água começar a fazer um movimento de vórtice próximo ao tubo de captação”, explicou ele.
ÁGUA ATÉ JANEIRO DE 2017
De acordo com o gerente da Cagepa, Ronaldo Menezes, se as condições de chuvas não melhorarem, os cálculos feitos pela companhia apontam que o açude Boqueirão deve ter condições de continuar abastecendo a população até o fim do mês de janeiro de 2017.
O cálculo foi feito com base no uso de água para o abastecimento e na evaporação da água.
“Quando o nível chegar a 4,8%, que corresponde a 20 milhões de metros cúbicos, a suspensão pode ser necessária pela qualidade da água, pois ela pode ficar imprópria para consumo. Mas isto ainda não está claro, é apenas uma previsão com base nas orientações da Agência Nacional das Águas (Ana). Com o racionamento, por mês, Boqueirão está tendo uma vazão de 650 litros de água por segundo. O normal era de 1500 litros a 1600 litros de vazão por segundo, a cada mês. O cálculo da evaporação é feito com base nos dados históricos”, explicou
QUALIDADE DA ÁGUA
Para avaliar a qualidade da água do açude de Boqueirão, a Cagepa instalou sondas para aferir a presença de cianobactérias.
As avaliações vão ser feitas todas as quintas-feiras em laboratórios universitários.
“Estamos contactando empresas e profissionais para avaliação da qualidade da água, além de novas propostas de tratamento da água, com o melhor custo e beneficio”, disse Ronaldo Menezes.
(G1 PB/Campina Grande)
COMO VAI SER:
ZONA 1 EM CAMPINA GRANDE
Acácio Figueiredo, Cruzeiro, Distrito Industrial, Estação Velha, Itararé, Mirante, Jardim Paulistano, Catolé, Liberdade, Presidente Médice, Sandra Cavalcante, Ligeiro, Tambor, Três Irmãs, João Agripino, Velame, Jardim Vitória, Vila Cabral, Novo Horizonte, Novo Cruzeiro, Ressurreição, Dinamérica, Jardim Borborema, Jardim Verdejante, Malvinas, Quarenta, Ramadinha, João Paulo II, Sonho Meu, Meu Sonho, Chico Mendes, Alameda, Santa Cruz, Santa Rosa, Serrotão, São Januário, Universitário, Cinza, Ana Amélia, Lagoa de Dentro, Distrito de São José da Mata, Distrito de Santa Terezinha e cidade de Pocinhos.
A partir das 05h00 das segundas-feiras à meia-noite  das quarta-feiras.
Devido a condições topográficas e da rede hidráulica, os horários de início e término da distribuição, poderão sofrer variações.
ZONA 2 EM CAMPINA GRANDE
Alto Branco, Araxá, Bairros das Nações, Centro, Pedregal, Prata, Conceição, Cuités, Jenipapo, Antas, Jardim Continental, Jardim Tavares, Juracy Palhano, Condomínios Residence Privê, Sierra, Atmosfera e Green, Jeremias, Lauritzen, Louzeiro, Monte Santo, Novo Bodocongó, Bodocongó, Centenário, Palmeira, Castelo Branco, Glória, José Pinheiro, Monte Castelo, Nova Brasília, Santo Antônio, Belo Monte, Bela Vista, São José, Nenzinha Cunha Lima e Bonald Filho, Bairro das Cidades, Catolé de Zé Ferreira, Catingueira e Distrito de Galante.
A partir das 5h00 das quintas-feiras até às 13h00 dos sábados.
Devido a condições topográficas e da rede hidráulica, os horários de início e término da distribuição, poderão sofrer variações.
SISTEMA DO BREJO
Eixo 1
Lagoa Seca:
Durante 48 horas, a cada 15 dias, iniciando-se, no dia 21 de julho às 13h00 das quintas-feiras até às 13h00 dos sábados.
O escritório local detalhará o abastecimento da cidade.
Eixo 2
Alagoa Nova, Matinhas e São Sebastião de Lagoa de Roça.
Durante 48 horas, a cada 15 dias, iniciando-se, no dia 28 de julho às 13h00 das quintas-feiras até às 13h00 dos sábados.
Os escritórios locais detalharão o abastecimento das cidades.
SISTEMA ADUTOR DO CARIRI
Eixo 1
Boqueirão, Boa Vista e Soledade.
Ocorrerá a cada 15 dias. 
A partir das 5h00 das segundas-feiras até às 17h00 das sextas-feiras.
Os escritórios locais detalharão o abastecimento das cidades.
Eixo 2
Juazeirinho, Cubati, São Vicente do seridó, Olivedos e Pedra Lavrada ocorrerá a cada 15 dias.
A partir das 5h00 das segundas-feiras até às 17h00 das sextas-feiras.
Os escritórios locais detalharão o abastecimento das cidades.

6 comentários:

  1. cade os prefeitos das cidades que são abastecido por boqueirão q não se acorda vamos prefeitos cuida em limpa o acude vamos povos se manifesta pedindo pros prefeitos se acorda e ajuda na limpeza do acude,se cada prefeito entra com um recurso boqueirão pode ser limpo

    ResponderExcluir
  2. o tempo de limpeza e a gora que esta seco se não vai chover e o acumulamento de água vai ser pouco

    ResponderExcluir
  3. gente isso é pra gente aprender que esses políticos não fazem nada por nois ,como pode nenhum se mobiliza pra trazer água pra o estado quero mesmo ver como vai ser a vida de todos daqui pra frente.Só Deus nosso pai pra nos socorrer...

    ResponderExcluir
  4. gente isso é pra gente aprender que esses políticos não fazem nada por nois ,como pode nenhum se mobiliza pra trazer água pra o estado quero mesmo ver como vai ser a vida de todos daqui pra frente.Só Deus nosso pai pra nos socorrer...

    ResponderExcluir
  5. Cadê os coxinhas babões das da Paraíba, poderiam cobrar das autoridades a limpeza do açude de boqueirão para quando chover ele voltar a ter sua capacidade normal,outra coisa o povo precisa aprender a usar água, não pode- se tá estragando água como o povo estraga e a cagepa deveria ao invés de aumentar o valor das tarifas fiscalizar as ligações clandestinas que exitem e usam água sem pena....não pagam conta e não estão nem aí... outra coisa essa história de trazer água do São Francisco vocês acham que ele também vai suportar ? Tem que concientizar o brasileiro que por sinal é muito mal educado a fazer o uso adequado da água e preservar as nascentes dos rios. MINHA OPINIÃO NÃO VAI RESOLVER O PROBLEMA DA ÁGUA MAS AJUDARIA BASTANTE QUANDO A AGUA CHEGAR.OBRIGADO PELO ESPAÇO

    ResponderExcluir